Honda CR-V muda e ganha mais conteúdo

0
15658

A mesma alma, mas em corpo diferente. A linha 2015 do Honda CR-V (ou Comfortable Roundabout Vehicle) teve mudanças e ganhou mais itens de conteúdo. No Brasil desde julho deste ano, o crossover passou a ser vendido somente na versão de topo de linha EXL com tração 4×4 e preço de R$ 134.990. Contudo, o modelo da Honda satisfaz mais pelo espaço interno e por seu rodar macio e silencioso. O desenho da dianteira exibe o DNA visual da Honda e ares de robustez, com a grade “Solid Wing Face”, novos faróis dotados de luzes diurnas em LED, para-choque revisto e faróis de neblina retangulares.

Atrás, o CR-V teve o para-choque redesenhado e recebeu um friso cromado na tampa do porta-malas. As rodas aro 17 usam pneus 225/65. O interior também mudou, com a utilização de materiais sensíveis ao toque, novos acabamentos e detalhes cromados. A posição de dirigir agrada, mas faltam os ajustes elétricos dos bancos dianteiros e o freio de estacionamento é acionado com o pé, igual ao do Kia Sportage. Já quem viaja atrás encontra bom espaço para as pernas, a cabeça e os ombros, além de saídas de ar traseiras.


Uma novidade do CR-V 2015 é a central multimídia com tela de 7 polegadas sensível ao toque, com navegador integrado às informações de trânsito, conectividade bluetooth e entradas HDMI, USB e auxiliar. A câmera de ré possui três modos de visualização. Os retrovisores não têm rebatimento automático ao trancar o carro, mas ganharam luz de direção integrada e função tilt down, que abaixa automaticamente o espelho quando a ré é engatada. Outras conveniências estão na partida sem chave, no teto solar e nos sensores crepuscular e de chuva.

Embora mudado, ao volante o CR-V continua o mesmo. O motor 2.0 16V com tecnologia FlexOne, que dispensa o tanquinho de gasolina da partida a frio, oferece 155 cv de potência com etanol. A transmissão é automática de cinco marchas e tem funcionamento suave. Mesmo para um carro familiar e de comportamento comedido, entretanto, o CR-V demora a embalar. Para ser mais eficiente, o botão Econ com função Eco Assist (indicador de controle do consumo de combustível) promove uma diminuição nas emissões e no consumo.

Com ele acionado e rodando na estrada, obtivemos médias de 12,7 km/l com etanol. As respostas da caixa de direção são ágeis e o acionamento do pedal de freio é progressivo. As suspensões absorvem bem as irregularidades e trabalham de forma silenciosa. Essa maciez cobra o seu preço e deixa a carroceria rolar nas curvas, embora sem comprometer a estabilidade ou o controle. A tração 4×4 corrige automaticamente a falta de aderência em pisos mais escorregadios ou acidentados.

Além disso, ainda em segurança o CR-V oferece os controles eletrônicos de tração e estabilidade, sistema de direção MA-EPS (enrijece o esterço da direção quando o carro tende a sair da trajetória), assistente de partida em subidas, airbags dianteiro, lateral e de cortina e isofix para a fixação de cadeirinhas infantis. O Honda CR-V está mudado sim, mas poderia ter mantido algumas versões mais acessíveis, com tração 4×2, como tinha no passado.

—–

Ficha técnica:

Honda CR-V EXL 4×4

Preço oficial: R$ 134.990
Motor: 4 cilindros em linha, 16V, comando continuamente variável
Cilindrada: 1997 cm3
Combustível: flex
Potência: 150 cv a 6.3000 rpm (g) e 155 cv a 6.300 rpm (e)
Torque: 19,3 kgfm a 4.700 rpm (g) e 19,5 kgfm a 4.800 rpm
Câmbio: automático, cinco marchas
Tração: dianteira
Direção: elétrica
Dimensões: 4,580 m (c), 1,820 m (l), 1,655 m (a)
Entre-eixos: 2,620 m
Pneus: 225/65 R17
Porta-malas: 589 litros (1.146 litros com o banco traseiro rebatido)
Tanque: 71 litros
Peso: 1.579 kg
0-100 km/h: não divulgada
Velocidade máxima: não divulgada
Consumo: não divulgado
Emissão de CO2: sem dados
Nota do Inmetro: não participa