Da água de São Paulo para o vinho de Minas Gerais

O pico do Gavião., fica no caminho entre Águas da Prata e Andradas e é um dos melhores locais do mundo para a prática de voo livre, com rampas para todas as direções

Distantes pouco mais de 200 quilômetros da cidade de São Paulo, duas tranquilas cidades – uma paulista e outra mineira – são separadas pela Serra da Mantiqueira e oferecem inúmeras opções de aventura e lazer. No Estado de São Paulo está Águas da Prata, com quase 20 fontes de água mineral; em Minas Gerais, fica Andradas, famosa pela produção de vinhos e doces. Ligando as duas, há uma estradinha de terra com aproximadamente 30 quilômetros de extensão com as mais variadas atividades para os turistas.

Águas da Prata é uma das cidades mais pacatas de São Paulo, com uma razoável estrutura de hotéis e restaurantes. Sua fonte mais importante é a Vilela, de onde sai a água que é considerada a mais radioativa das Américas – fria e revigorante, é indicada para os mais variados tratamentos. Dom Pedro II visitou a cidade em 1886 para inaugurar o ramal de Caldas da Estrada de Ferro Mogiana; parou na pequena estação Garganta do Inferno e experimentou a água que jorrava ao lado dos trilhos. Comentou que ela era parecida com a de Vichy, na França, ótima para o fígado, mas não gostou do nome da estação, que logo foi rebatizada de Estação do Prata. Para quem curte caminhadas, a Trilha das Sete Cachoeiras é imperdível. Outra opção – mais radical – é o Caminho da Fé, que pode ser feito em etapas e termina em Aparecida do Norte (SP).

Acima, uma garça-branca típica da região e os chalés da Pousada e SPA Holístico Canto dos Xamãs. Ao lado, a grande oca, no mesmo local, onde são realizadas palestras e cursos sobre misticismo, e uma área para fogueiras. Abaixo, uma roda de cristais para energização

Depois de explorar Águas da Prata, é hora de seguir para Andradas. É no caminho entre as duas cidades que estão as principais atividades que se pode praticar nessa viagem – trekking, caminhada, mountain bike, arborismo, rapel, cascading, off road, motocross, voo livre e pescaria. Certifique-se de que seu veículo está bem abastecido e tenha sempre à mão uma reserva de água, lanches e barras de cereais. Logo no início da estrada de terra está a Pousada e Spa Canto dos Xamãs – visita obrigatória para os interessados em misticismo, xamantismo, cosmologia e autoconhecimento, ou para aqueles que simplesmente querem ficar em contato com a natureza. Antiga fazenda de café, ela tem cachoeiras, chalés e uma enorme oca. Lá são administrados cursos, palestras e rituais (que devem ser agendados). Junto ao spa, há uma agência de esportes radicais que organiza canyoning, escalada, rappel, cascading, trekking e passeios de jipe.

Águas da Prata é cortada diariamente por trens de minério, e é da ferrovia que sai a famosa Trilha das Sete Cachoeiras. Abaixo, a charmosa estação de Águas da Prata, um dos muitos gaviões que habitam a região (daí o nome do pico e da pousada abaixo, que fica em Andradas). Não é recomendado alimentá-los.

Mais adiante na estrada de terra, atravessamos antigas fazendas de café, plantações de oliveiras e pastos de criação de gado. Seguindo as indicações, depois de 16 quilômetros chegamos ao topo do Pico do Gavião, a 1.663 metros de altitude, considerado um dos melhores pontos do mundo para voo livre, com rampas para todas as direções. Do alto dele, é possível avistar cinco cidades da região. Há um amplo estacionamento, área de camping, lanchonete e loja de equipamentos para a prática dos esportes radicais.

Voltando à estrada e seguindo mais alguns quilômetros em direção a Andradas, a Pousada Pico do Gavião atende tanto os “voadores” quanto os peregrinos do Caminho da Fé. A pousada oferece piscina, churrasqueira e um lago para pescaria. Mais alguns quilômetros e chegamos a Andradas. As montanhas próximas à cidade são ideais para a prática de esportes radicais. Existem várias trilhas ecológicas para trekking, caminhadas, off road com jipes, motos ou mountain bike. Para os praticantes de escalada, um destino imperdível é a Pedra do Elefante, na Serra do Pau D’alho.

Andradas vem se aprimorando na qualidade de seus vinhos, sendo possível encontrar alguns de muito boa qualidade. Recomendamos uma visita à Casa Geraldo, na saída para Ibitiúra. Na casa, localizada em uma fazenda com bonitos jardins, há degustação e venda de vinhos finos, doces e biscoitos. Já para os aficionados por pescaria, o Iapesca é passagem obrigatória. Além de quatro lagos para pesca, piscina, playground e restaurante, tem uma pousada. No centro da cidade, ficam várias fábricas de biscoitos – e, claro, bons restaurantes para apreciar o tradicional tutu mineiro. Boa viagem e bom apetite.

COMPARTILHAR
Notícia anteriorMercado
Próxima notíciaMotor News Edição 354