Da Twister, nem o nome

O nome da moto vem com a indicação da injeção eletrônica; a nova lanterna ficou mais afinada, mas faltou o freio a disco na traseira

Chegou ao fim a espera: a já famosa Honda CBX250 Twister agora, finalmente, deu lugar à recém-chegada CB300R. Tratase de um modelo totalmente novo, que fez com que da Twister não sobrasse nada, nem mesmo o nome. A nova Honda, lançada no início do mês, chega para conquistar os consumidores da aposentada Twister, além de parte dos motociclistas que sonhavam em ter uma Honda Hornet 600, mas que ainda não tinham o capital necessário. Isso porque o novo modelo da marca conta com design similar ao da prima de 600 cm3, mas com a diferença de ser mais barata. Seu preço sugerido é de R$ 11.490.

Por falar em design, essa nova identidade do modelo fez com que a fabricante criasse sua própria categoria, “Street Sport Naked”, inspirada nas top naked (motos sem carenagem, que gostam de expor seus motores) mundiais. A Honda utiliza ainda o termo “Street Fighter” (lutador de rua), definindo o conceito a ser seguido neste modelo – força na parte dianteira e leveza na traseira.

À primeira vista, o que mais chama a atenção é realmente a parte frontal. O farol, composto por refletores multifocais (agora com 60W, quando na Twister tinham 35W), garante uma estética mais agradável e maior funcionalidade, com iluminação mais eficiente. Já o tanque de combustível, com capacidade para 18 litros, junto com o novo grafismo do nome e as linhas mais acentuadas, dão à moto um ar mais robusto.

Outra mudança ocorreu no painel de instrumentos, que ganhou display digital, no qual o motociclista pode acompanhar a velocidade da moto, o nível de combustível, os hodômetros total e parcial, além de um relógio.Completa o conjunto do painel de instrumentos um grande conta-giros analógico bem no centro.

A traseira também não passou despercebida pelos engenheiros da Honda. A nova moto ganhou uma lanterna exclusiva, com uma rabeta mais curta e afinada, similar à da Hornet. O assento, com dois níveis, proporciona ao piloto e ao garupa melhor ergonomia e conforto. E olha que as diferenças entre a nova Honda CB300R e a aposentada CBX250 Twister não param por aí.

O novo painel, à esquerda, vem com conta-giros central e display digital com informações dos hodômetros (parcial e total), velocidade e nível de combustível

O novo modelo continua a ser equipado com motor DOHC, monociclíndrico com quatro válvulas, mas agora com um acréscimo de cilindrada, passando de 249 cm3, para 291,6 cm3. Este resultado foi obtido pelo aumento do pistão ( de 73 mm para 79 mm). A potência também subiu, de 24 cv da Twister para 26,5 cv a 7.500 rpm, e o torque máximo foi para 2,81 kgfm a 6.000 rpm, tudo isso unido à injeção eletrônica, que não fazia parte da sua antecessora. A caixa de câmbio é o único ponto fraco desta nova Honda, que tem apenas cinco velocidades, contra seis do modelo que substituiu.

A Honda CB300R chega com um belo apelo estético, bom desempenho e ergonomia. Uma boa opção para quem quer andar pela cidade, mas não deixa de pegar uma estrada de vez em quando. Oferecendo o modelo em quatro cores (preto, vermelho, amarelo metálico e prata metálico), a Honda planeja vender cerca de 50 mil unidades da novidade até o final deste ano.

Veja também

+ A biblioteca básica do motociclista cool

+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas

+ Homem compra Lamborghini após fraude em auxílio emergencial

+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar



COMPARTILHAR
Notícia anteriorPara pequenas famílias
Próxima notíciaUma vida na fórmula 1