Dança dos números

A Peugeot sempre usou números para seus carros. O novo 206 se chama 207, que, por sua vez, será substituído pelo 208, e assim por diante. Então, obviamente, o substituto do 307 Sedan seria o 308 Sedan, certo? Não. Agora a marca mudou a estratégia. Como as vendas da versão três volumes do 307 aqui jamais decolaram, nada melhor do que recomeçar esta briga no disputado segmento de sedãs médios com um produto novo.

E é aí que entra este 408, destinado a mercados emergentes como o Brasil (daí seu “nome completo” ser 408 América Latina). A Europa deve ter, em breve, um 408 diferente – ou car só com o 508 apresentado em Paris (leia nesta edição).

Se, acima dos R$ 80 mil, o 407 era caro para os brasileiros, o novo 408 terá preço mais atraente para encarar Civic, Corolla e companhia. Exposto no Salão, ele chega às lojas nos primeiros meses de 2011 e, segundo nossas estimativas, custará a partir de R$ 55 mil – só com motor 2.0. A versão top, automática e com pacote de itens de conforto invejável, deve chegar próximo dos R$ 75 mil.

So sticado, espaçoso e com preço mais atraente que o do 407, o novo sedã vai brigar com Civic e Corolla, mas também será uma boa opção às versões top dos sedãs compactos

 

3008: UM POUCO DE TUDO

Crossover, por definição (que muda a cada dia), é um carro que mistura elementos de segmentos diferentes. Este 3008, que mostramos em julho do ano passado (MS 315) e começa a ser vendido logo depois do Salão, se encaixa nessa descrição.

Como pudemos comprovar na avaliação que zemos do modelo na Croácia, em 2009, ele tem o estilo e a posição de dirigir de um SUV, a funcionalidade de uma minivan e a dirigibilidade de um hatch (não inclina demais em curvas, não pula muito em buracos, etc.). Para garantir esse comportamento, tem um sistema que equilibra a carga de pressão dos amortecedores traseiros em curvas.

O alvos são outros crossovers/SUVs, como CR-V, Captiva e Tucson/ix35 (e seu porte é equivalente: 4,37 m). Como a maioria das vendas destes modelos é com tração 4×2, o 3008 também será vendido com tração dianteira. Serão duas versões, com pacotes diferentes, com preços estimados entre R$ 75 mil e R$ 85 mil.

O motor 1.6 turbo com injeção direta e 150 cv, desenvolvido em parceria com a Mini, gasta pouco combustível e garante bom desempenho.

Uma pequena tela projeta as informações de bordo para o motorista não desviar a atenção

 

 

COMPARTILHAR
Notícia anteriorMercado
Próxima notíciaSalão do automóvel 2010