Das pranchetas às lojas


Quatro anos. Na Volkswagen, este é o tempo médio para que um novo modelo da marca percorra o caminho das pranchetas até às concessionárias. Ou seja. O automóvel que você vai comprar no futuro, em 2017 ou 2018, já é o presente para os projetistas da montadora.

“O primeiro contato que se tem com um automóvel é com o estilo, com a sua forma. Por isso, o Design é tão importante. Ele é o início da relação entre o homem e a máquina. É um ser humano diante de mais de 3 mil peças montadas. Mas para dar certo essa relação, o veículo tem que cativar por dentro e por fora”, explica o diretor de Design da Volkswagen do Brasil, Luiz Alberto Veiga.

Depois de definido o lançamento de um novo modelo, a primeira etapa do projeto são os sketches, desenhos em duas dimensões onde são escolhidas as linhas básicas do novo carro. Esses esboços então são enviados para a área de Package, onde os técnicos definem o tamanho ideal do veículo e analisam pontos como ergonomia e adequação ao meio ambiente.

Na etapa seguinte é feito um desenho em tamanho real do veículo, que após a aprovação servirá de base para um protótipo esculpido em argila. Nesta fase, que também conta com o apoio da equipe do Package, o modelo recebe a pintura, faróis e os itens de acabamento e é possível ter uma noção de como será o novo carro ao chegar as lojas.

“O segredo do designer automotivo não está na capacidade de criar forma e conteúdo, mas sim em fazer com que seu projeto seja viável e duradouro. Então, desde o princípio há uma série de preocupações e detalhes que devem ser priorizados. E isso obviamente passa pelo estilo do veículo, mas abrange o espaço para a cabeça, o tamanho do porta-malas, a visibilidade. É uma equação que exige muito trabalho e dedicação para se resolver”, afirma o gerente-executivo de Design da Volkswagen do Brasil, Gerson Barone.

Paralelamente, todos os componentes internos do futuro automóvel, como bancos e painéis, passam pelas mesmas etapas de desenvolvimento. O mesmo acontece com a escolha das cores da carroceria e dos materiais dos revestimentos. Este trabalho é de responsabilidade da área de Color&Trim, que conta com o suporte da área de marketing da montadora para fazer as suas escolhas.

Depois destas etapas, o modelo é levado para análise da matriz da Volkswagen na Alemanha, onde é avaliado pela direção do Design Center. Após a aprovação, o protótipo é escaneado e as medidas são transformadas em cálculos matemáticos, que serão utilizados então para o desenvolvimento do ferramental de produção.