De olho no lance

Mais uma vez a Fórmula Indy fez o público vibrar no circuito de rua do Anhembi. Neste ano, havia um motivo a mais para a animação da torcida:

Rubens Barrichello. A equipe de MOTOR SHOW estava presente no evento e invadiu os boxes durante a sessão de warm up, um treino para acertar os últimos detalhes antes da corrida. A ideia era descobrir se o nível de tensão das equipes se assemelha ao da Fórmula 1. E a resposta é: nem de longe… Diferentemente do que aconteceu no Autódromo de Interlagos no último GP Brasil, no Anhembi deu para acompanhar tranquilamente o trabalho das equipes na área dos pit stops. Em nenhum momento fomos barrados. Nem sequer incomodados. Foi possível até mexer em algumas ferramentas dos mecânicos, sem receber nenhuma bronca. Agitação grande somente durante as paradas.

Mulher colocando a mão na graxa; engenheiros tranquilamente acertando carros, motores e câmbios; pilotos passeando de scooter (à esq.): na Indy dá para car muito mais perto do show. Abaixo, a troca de pneus de Bia Figueiredo

Queríamos saber mais e caminhamos até a garagem, uma área dentro do Pavilhão do Anhembi, onde os times modificam os seus carros. Mais surpresas. Conseguimos ficar ao lado de um engenheiro trabalhando em um câmbio, enquanto alguns pilotos passavam de scooter de um lado para o outro É um clima bastante diferente do da Fórmula 1! O público sente essa proximidade e responde à altura. Para quem gosta de automobilismo, a Fórmula Indy é uma grande festa! Chega a hora do show e é dada a largada. O ronco dos motores seis cilindros a etanol de Honda, Lotus e Chevrolet (de 550 a 700 cv) é grave, ao contrário dos estridentes V8 da Fórmula 1. Depois de 75 voltas, o australiano Will Power venceu a prova pela terceira vez consecutiva. Entre os brasileiros, Hélio Castroneves terminou em quarto, Barrichello em décimo, Tony Kanaan em 13º e Bia Figueiredo em 20º.

 

Kia K9 inicia as vendas

Depois de ser apresentado no último Salão de Genebra como o conceito KH, enfim o luxuoso sedã Kia K9 começou a ser vendido na Coréia do Sul. Ele chegará a outros mercados a partir do quarto trimestre deste ano. Por aqui, estará no Salão de São Paulo, em novembro. Para concorrer com Mercedes e BMW, o sedã traz uma extensa lista de equipamentos e de conveniência. O modelo mede 5,09 m de comprimento e ótimos 3,04 m de entreeixos. A mecânica V6 rende 289 cv. Com o K9, a Kia quer atrair novos consumidores.

Circuito de Nardò é vendido para a Porsche

O mítico circuito de Nardò foi vendido para a Porsche por um preço estimado de algo entre € 40 e € 50 mi. Construído pela Fiat em 1975, foi vendido a Protótipo em 1999. Agora, a pista servirá para o desenvolvimento dos novos carros da Volkswagen e Audi. Localizado em uma área de 700 hectares ao sudeste da Itália, tem um traçado de 6,2 km de extensão e outro oval de 12,.5 km. Nardò é utilizado durante o ano todo e é possível similar diversos tipos de pisos e condições climáticas.

 

20 milhões de unidades foi o total de unidades já produzidas pela VW em 59 anos de história no Brasil. A unidade número 20 milhões foi uma Saveiro Cross. As três fábricas de carros – Taubaté (SP), São Bernardo do Campo (SP), São José dos Pinhais (PR) e uma de motores, em São Carlos (SP) – respondem por 3.500 unidades por dia.

Um carro que dispensa motorista

Depois de 255 mil quilômetros de testes, o Toyota Prius da Google está licenciado para circular no Estado de Nevada (EUA). Para andar sozinho, ele usa lasers, câmaras de vídeo e um radar para detectar animais e pessoas. As avaliações do carro foram supervisionadas por um motorista profissional, que assumiria o controle em caso de emergência. Somente um acidente com o Google Car foi registrado (e parece que a culpa foi do outro carro). De acordo com a nova legislação que vigora lá desde março deste ano, os carros sem motorista precisam ser inspecionados por duas pessoas: motorista e alguma outra pessoa para monitorar o computador.

Citroën C5 ou Opel C5?

Depois da parceria entre a General Motors e o grupo PSA (Peugeot Citroën), em fevereiro, os primeiros frutos começam a surgir. As próximas gerações dos compactos Citroën C3 e Opel Corsa terão tecnologia PSA, e o Opel Insignia e o Peugeot 508 terão plataforma GM. Além disso, a Opel, subsidiária da GM, ficará responsável pelo dsenvolvimento da nova geração do Citroën C5. E a linha de montagem desse sedã deve acabar sendo transferida para uma unidade da própria Opel.

Novo Corolla japonês

Durante a inauguração da fábrica da Toyota em Miyagi, no Japão, foi apresentada a 11ª geração do Toyota Corolla Axio (versão menor do sedã que é vendida lá). Ele e a perua Fielder – que deixou nosso mercado em 2008 – mantiveram o visual conservador. Sob o capô, motores 1.3, 1.5 e 1.8 e transmissões manual ou CVT. A marca garante que esse modelo não virá para o Brasil.

Veja também

+ A biblioteca básica do motociclista cool
+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas
+ Homem compra Lamborghini após fraude em auxílio emergencial
+ Os 20 carros 1.0 mais econômicos do mercado brasileiro
+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar



COMPARTILHAR
Notícia anteriorConforto acessível
Próxima notíciaAgora no rumo certo