Desempenho surpreendente

O design interno é clean e elegante, com instrumentos de fácil leitura e controles do som e do ar-condicionado integrados no mesmo conjunto. Abaixo, o encaixe para a chave e o botão para a partida

Para muitos, é difícil engolir a história de um sedã luxuoso, de mais de R$ 100 mil, com propulsor 1.6. Pois assim é o S60 T4, e se engana quem acha que lhe falta motor. A unidade quatro cilindros é um feliz exemplo de downsizing: baixa cilindrada com alto desempenho. Sobrealimentada, entrega 24,5 kgfm de torque já a 1.600 rpm, auxiliada por um câmbio de seis marchas com trocas rápidas e suaves. Aliado a um conjunto de suspensões independentes com acerto rme, mas ainda confortável, esse conjunto motriz garante uma tocada até empolgante ao pesado sedã – e, o melhor, com economia de combustível.

Nas curvas, seu comportamento quase neutro tem providencial ajuda do volante preciso e de peso correto e de um aparato eletrônico de segurança digno da marca sueca. Quem precisa do espaço de um sedã, mas não quer abrir mão do prazer de dirigir, pode parar de torcer o nariz: esse Volvo é uma boa opção. Seu porta-malas não é enorme, mas su ciente. E há espaço e comodidade para duas pessoas no banco traseiro.

Com relação à versão T5, intermediária, esse T4 perde pouco – e custa bem menos. São R$ 111 mil, contra R$ 125.900. E a lista de equipamentos é bem completa: quatro airbags, ABS, controles de tração, estabilidade e anticapotamento, sistema anticolisão, protetor de cabeça ativo, Iso x para cadeiras infantis, bluetooth e ar digital, entre outros. Mas algumas ausências são sentidas, como a do GPS, do sensor crepuscular e, principalmente, do sensor de estacionamento. Ainda mais por ser um Volvo: esse equipamento não é apenas um mimo, mas um item de segurança para os pedestres. Crianças, por exemplo, podem passar atrás do carro na hora da manobra.

Optando pelo carro de entrada, ainda se perde o teto-solar, o volante em couro, os faróis de xenônio, o sensor de chuva, os vidros laterais laminados e o banco do motorista elétrico. Nada que compense pagar R$ 15 mil a mais pelo T5. Se tiver dinheiro sobrando, salte logo para o T6, esse, sim, com muito mais desempenho e itens de série, mas com preço que beira os R$ 200 mil.

COMPARTILHAR
Notícia anteriorMercado
Próxima notíciaMotor News Edição 354