Difícil achar defeito

HONDA FIT LX CVT R$ 35.745

• MANUTENÇÃO BARATA

• DESVALORIZAÇÃO BAIXA

• SEGURO BARATO

Que o Fit caiu nas graças dos brasileiros, ninguém duvida. Equipado com transmissão automática CVT, inovadora na época de seu lançamento, e o motor com tecnologia SOHC i-DSI, responsável pelo baixo consumo de combustível, este pequeno notável é “esperto e ágil”, nas palavras da proprietária Janaína Paço Fujii.

O monovolume nipônico não deixa a desejar nem no design externo, de linhas leves (embora, um tanto feminino, não agrade a todos), nem pelo interno, que traz bastante conforto para cinco passageiros, modularidade, boa visibilidade, vários porta-objetos e espaços bem definidos, como ressalta Plácido Diegues: “Comprei esse carro por causa do câmbio, do custo/benefício e de seu interior.”

Mas, com motor de apenas 80 cv, “deixa a desejar na hora de uma ultrapassagem na estrada”, conta Janaína. Depois de consultar alguns proprietários e mecânicos, constatamos que o Fit dificilmente dará dor de cabeça para quem adquiri-lo, mesmo usado. Plácido confirma: “Nunca tive nenhum problema mecânico, apenas fiz alinhamento e troquei a bateria.” Mesmo assim, o mecânico Moisés de Mello de Oliveira, da oficina Ribeiro Renovadora, dá algumas dicas para evitar problemas. “Tem que ver se o dono fez todas as revisões na concessionária e se o câmbio não apresenta falhas.”

Já o mecânico Cristiano Alves Mendes, que trabalha na Scattini Funilaria e Pintura, recomenda prestar atenção na quilometragem. “É preciso checar a procedência do veículo e o estado geral dele. Falhas na hora da partida podem ser sinal de desgaste no câmbio”, explica.

Com consumo baixíssimo (são 14,7 km/l na cidade e 17,7 km/l na estrada), o Fit e ótima opção de compra para uso familiar. Cotado a R$ 35.745 na tabela Fipe/MOTOR SHOW, em sua versão LX 1.4 com câmbio CVT, ano 2004, é uma boa pedida para aqueles que procuram bom custo/benefício e querem ficar longe das oficinas mecânicas.

O motor é econômico, mas o desempenho é fraco. Já o tamanho do porta-malas fica na média do segmento

Acima, o painel com mostradores redondos e vários porta-objetos: a ausência de ruídos impressiona

Meriva CD 1.8 2004 R$ 32.856

Tem motor mais potente, portanto maior consumo, e não tem a opção de câmbio automático

Idea ELX 1.4 Flex 2005 R$ 35.891

Na versão 1.4, é econômico, mas também só tem câmbio manual. Compensa com o motor flexível

Confira se a manutenção foi bem-feita

Como este carro dificilmente apresenta problemas mecânicos, na hora de fechar negócio é bom prestar atenção se o volante está gasto, com o aro “brilhante”, pois é indício de que o carro foi bastante usado. Outra verificação importante é se os pedais estão em bom estado, se as trocas de óleo foram feitas corretamente e se o estofado do banco do motorista está em bom estado. Isso mostra se o carro foi bem cuidado, seguindo as instruções de manutenção, ou se foi “malhado”, o que, mesmo em um carro altamente confiável, pode acabar gerando problemas mecânicos

Eu não gosto…

“Na estrada ele fica devendo, principalmente na hora em que é preciso fazer ultrapassagens”

Janaína Paço Fujii proprietária

Eu gosto…

“Comprei por causa do câmbio e adorei. Além disso, tem baixo consumo e ótimo espaço interno”

Plácido Diegues proprietário

Mercado

A desvalorização de 2,6% é baixa em relação aos concorrentes, que têm sofrido grandes variações em seus preços

COMPARTILHAR
Notícia anteriorPlcanto
Próxima notíciaSantana ainda reina na China