E agora, Corolla?

0
436

EMISSÃO DE CO2 171 G/KM COM ETANOL = ZERO MÉDIA VW JETTA COMFORTLINE SUGERIDO/A PARTIR DE R$ 65.700

EMISSÃO DE CO2 N/D G/KM COM ETANOL = ZERO SEM DADOS PEUGEOT 408 SUGERIDO/A PARTIR DE R$ 59.500


EMISSÃO DE CO2 N/D G/KM COM ETANOL = ZERO SEM DADOS RENAULT FLUENCE SUGERIDO/A PARTIR DE R$ 60.000

EMISSÃO DE CO2 N/D G/KM COM ETANOL = ZERO SEM DADOS TOYOTA COROLLA SUGERIDO/A PARTIR DE R$ 64.500

Do Salão do Automóvel de São Paulo, realizado em outubro do ano passado, até hoje, o segmento que mais teve novidades foi o de sedãs médios. Parece que está todo mundo de olho nos consumidores fiéis e potenciais desta categoria. No próprio Salão, a Renault apresentou o Fluence, um modelo novo e moderno que chegou para substituir o Mégane. No mesmo evento, a compatriota Peugeot mostrou sua aposta para este segmento. O 408 veio para suprir a lacuna deixada pelo 307 sedã e colocar a marca em outro patamar nesta categoria.

No mês passado, foi a vez da nova geração do Jetta, que teve como principal novidade uma configuração básica, criada exclusivamente para substituir o Volkswagen Bora. Tão logo o novo Jetta foi lançado, a Toyota apresentou o modelo 2012 do Corolla. O carro a ser batido responde às ameaças rivais com uma reestilização que deve mantê-lo entre os líderes até meados de 2014, quando será lançada sua nova geração. O sedã oriental continua com a mesma gama de versões com preços que variam de R$ 64,5 mil a R$ 87,5 mil.

O que ilustra estas páginas é o GLi Automático, mas, pela faixa de preço, vamos considerar nesta disputa o básico Xli, que custa R$ 68,5 mil com transmissão automática.

Entre os desafiantes, todos começam na faixa dos R$ 60 mil. O Renault Fluence tem duas versões: a Dynamique, que sai por R$ 60 mil com câmbio manual e R$ 65 mil com transmissão automática, e a top Privillége custa R$ 76 mil. O Peugeot 408 sai por R$ 59,5 mil na versão Allure manual e R$ 64,5 mil na automática. Já a configuração intermediária, Felline custa R$ 74,9 mil e a top Griffe sai por R$ 79,9 mil. Tanto o Peugeot quanto o Renault têm o mesmo conjunto mecânico para todas as configurações. Isso já não acontece com o VW Jetta.

O calouro do segmento é oferecido na configuração Highline de R$ 89,5 mil e na Comfortline que sai por R$ 65,7 mil com câmbio manual e R$ 70 mil na versão automática, que avaliamos. A diferença de preço não é por acaso. O modelo top é outro carro, em motor e conjunto mecânico (leia comparativo nas próximas páginas). O Comfortline, contrariamente, é o menos potente deste comparativo.

Seu motor 2.0 aspirado tem 120 cv e 18,4 kgfm (etanol). É o mesmo do Golf e do Polo. Mas o Jetta é mais pesado e, por isso, o desempenho deixa a desejar. Na cidade, o fato de ter apenas 8V e torque desde as baixas rotações minimiza essa deficiência, mas, na estrada, ele fica atrás. O câmbio de seis marchas compensa. Em situações de retomadas, a transmissão reduz duas marchas e, aí sim, o carro responde bem, mas com um giro para lá dos 4.000 rpm. O sedã mais potente nesta briga é o 408, que gera 151 cv e 22 kgfm (etanol). Mas o ponto fraco do carro é exatamente inverso ao do Jetta. Ele tem mais força, mas um câmbio automático de apenas quatro velocidades, que não administra esse torque como deveria.

O Corolla sofre do mesmo incômodo, mas, mesmo assim, sua transmissão tem acerto melhor que a do 408. Mas o modelo já deveria ter uma transmissão mais moderna, principalmente com o novo motor. Uma das principais novidades da linha 2012 do japonês. Trata-se de um 1.8 com duplo comando de válvulas variável e é da mesma família do 2.0 que já equipava as versões XEi e Altis.

Quem tem o conjunto mais equilibrado de motor e transmissão é o Fluence. Seu propulsor 2.0 gera 143 cv, que são muito bem aproveitados pelo câmbio automático CVT X-Tronic. O sistema, aliás, é um dos grandes benefícios do carro. Mesmo sendo uma transmissão continuamente variável, ou seja, sem engrenagens, é possível fazer mudanças sequenciais por meio de borboletas. Isso porque o aparato cria virtualmente uma faixa de rotação para cada marcha. É um sistema de troca sem trancos. Até quem não está dirigindo percebe a suavidade.

Há quem diga que o melhor jeito de avaliar um sedã é sentando no banco de trás. Os mais espaçosos são 408 e Fluence, que tem os entre-eixos mais longos e a maior largura (medidas quase iguais). Nesta comparação, o líder do segmento, o Corolla, é o menor de todos. O VW Jetta também tem excelente aproveitamento de espaço. Quando o assunto é volume do porta-malas, o Fluence também se sai bem, seguido do 408. Já o Corolla, mais uma vez, fica na lanterna.

Mas, como conforto não está apenas ligado a espaço, neste segmento, a lista de equipamentos também acaba influenciando muito na escolha. E se essa for sua prioridade, o modelo mais indicado para você é o Fluence (confira tabela). O Jetta se destaca mais pelos opcionais como o teto-solar e o piloto automático, itens ausentes nos outros três carros. Quem faz feio é o Corolla, que, se quer tem ABS e rodas de liga leve nessa versão de entrada.

Como produto, o Fluence é quase imbatível. Mas não deverá ser ele a pedra no sapato do Corolla. Compradores desse segmento costumam optar por marcas mais tradicionais. É o que justifica, em parte a liderança do Corolla, um carro que não desvaloriza e dá pouca manutenção. Nesse caso, a confiabilidade da Volks e a enorme quantidade de revendas devem colocar o Jetta em destaque.

Peugeot 408 Allure

Motor quatro cilindros em linha, 2,0 litros, 16V, comando de válvulas com admissão variável Transmissão automática, quatro marchas e tração dianteira Dimensões comp: 4,69 m larg: 1,81 m alt: 1,52 m Entre-eixos 2,710 m Porta-malas 481 litros Pneus 205/ 55 R16 Peso 1.494 kg • Gasolina Potência 143 cv a 6.000 rpm Torque 44,9 kgfm de 2.900 a 4.500 rpm Vel. máxima 208 km/h 0 100 km/h 11,9 segundos Consumo não disponível Consumo real não disponível • Etanol Potência 151 cv a 6.000 rpm Torque 22,0 kgfm a 4.000 rpm Vel. máxima 208 km/h 0 100 km/h 11,9 segundos Consumo não disponível Consumo real não disponível

Jetta Comfortline

Motor quatro cilindros em linha, 2,0 litros, 8V Transmissão automática sequencial, seis marchas, tração dianteira Dimensões comp: 4,64 m larg: 1,78 m alt: 1,47 m Entre-eixos 2,651 m Portamalas 510 litros Pneus 205/55 R16 Peso 1.346 kg • Gasolina Potência 116 cv a 5.000 rpm Torque 17,7 kgfm a 4.000 rpm Vel. máxima191 km/h 0 100 km/h 12 segundos Consumo cidade: 10,4 km/l estrada: 14,9 km/l Consumo real cidade: 8,0 km/l estrada: 10,6 km/l • Etanol Potência 120 cv a 5.000 rpm Torque 18,4 kgfm a 4.000 rpm Vel. máxima 198 km/h 0 100 km/h 11,1 segundos Consumo cidade: 7,2 km/l estrada: 10,2 km/l Consumo real cidade: 5,5 km/l estrada: 7,2 km/

Renault Fluence Dynamique

Motor quatro cilindros em linha, 2,0 litros, 16 V, comando v a r i á v e l Transmissão continuamente variável com trocas sequenciais de seis marchas virtuais, tração dianteira Dimensões comp: 4,62 m larg: 1,81 m alt: 1,47 m Entre-eixos 2,700 m Porta-malas 530 litros Pneus 205/60 R16 Peso 1.369 kg • Gasolina Potência 140 cv a 6.000 rpm Torque 19,9 kgfm a 3.750 rpm Vel. máxima 195 km/h 0 100 km/h 9,9 segundos Consumo não disponível Consumo real não disponível • Etanol Potência 143 cv a 6.000 rpm Torque 22,3 kgfm a 3.750 rpm Vel. máxima 195 km/h 0 100 km/h 5,7 segundos Consumo não disponível Consumo real não disponível

Corolla XLi

Motor quatro cilindros em linha, 1,8 litros, 16V, duplo comando variável. Transmissão automática de quatro velocidades e tração dianteira Dimensões comp: 4,54 m larg: 1,76 m alt: 1,48 m Entre-eixos 2,600 m Porta-malas 470 litros Pneus 195/65 R15 Peso 1.2555 kg • Gasolina Potência 139 cv a 6.000 rpm Torque 18,0 kgfm a 4.400 rpm Velocidade máxima não disponível 0 100 km/h não disponível Consumo não disponível Consumo real não disponível • Etanol Potência 143 cv a 6.000 rpm Torque 18,6 kgfm a 4.800 rpm Velocidade máxima não disponível 0 100 km/h 12s2 Consumo cidade: 7,5 km/l estrada: 10,9 km/l Consumo real cidade: 5,7 km/l estrada: 7,7 km/

SHARE
Artigo anteriorFeliz carro novo
Próximo artigoMercado