Elantra, o mini-Sonata

 

O mercado de sedãs médios está fervendo. Depois dos recentes lançamentos de Peugeot 408, VW Jetta, Renault Fluence e Corolla 2012, em agosto chega o Chevrolet Cruze. E, ainda no segundo semestre, teremos o novo Civic (leia mais na página 20). Se você pensa que as novidades param por aí, prepare-se para o melhor: agora em junho chega o novo Hyundai Elantra, sedã médio que, no arrojo de seu design pode ser considerado um mini-Sonata.

 

Hyundai Elantra

Motor quatro cilindros em linha, 1,8 litro, 16V, duplo comando variável

Transmissão automática sequencial, seis marchas, tração dianteira

Dimensões comp.: 4,53 m – larg.: 1,78 m – alt.: 1,44 m

Entre-eixos 2,700 m

Porta-malas 420 litros

Pneus 215/45 R17

Peso 1.304 kg

GASOLINA POTÊNCIA 156 cv a 6.000 rpm

Torque18,1 kgfm a 4.700 rpm

Vel. Máxima não disponível

0 – 100 km/h não disponível

Consumo não disponível

Consumo real cidade: 11,5 km/l – estrada: 16,1 km/l (nos EUA)

 

O novo sedã será importado da Coreia do Sul em uma versão única e muito bem equipada, sem opcionais. A única escolha disponível será em relação ao câmbio, manual ou automático – ambos com seis marchas. Vale destacar que a moderna transmissão automática proporciona exatamente os mesmos valores de consumo da manual, seja na cidade ou na estrada. Um bom indicativo de que as perdas naturais do escorregamento do conversor de torque foram levadas a seus valores mínimos.

 

Apesar de ele ser um sedã, suas linhas lembram bastante as de um cupê

 

Seu moderno motor 1.8 16V é todo feito em alumínio e consegue conciliar alta potência específica (83,5 cv/litro), bom torque máximo (18,1 kgfm) e baixo consumo. Para isso, conta com duplo comando de válvulas continuamente variável, alternador inteligente (para reduzir perdas), roletes nos comandos (para reduzir atritos), controle eletrônico da borboleta do acelerador, coletor de admissão em plástico com dupla variação e um posicionamento diferente do virabrequim com relação ao bloco, que reduz o atrito entre os pistões e os cilindros.

 

A boa aerodinâmica ajuda a reduzir o consumo de combustível

O acabamento interno já foi até premiado nos EUA. No desenho do painel, os coreanos inovam e seguem seu próprio caminho

A versão top, que será vendida aqui, tem teto-solar e couro nos bancos. O bom entre-eixos garante espaço

 

Seguindo os padrões americanos, a marca divulga médias de consumo surpreendentes para um sedã desse porte: 12,3 km/l na cidade e 16,9 km/l na estrada. Claro que com nossa gasolina, que tem 25% de etanol, essas marcas Ele é a aposta da Hyundai para complicar a vida dos sedãs médios. Com linhas semelhantes às de seu irmão maior, ele chega no mês que vem devem piorar cerca de 10%, mas, ainda assim, devem ser bem superiores às marcas de Corolla e Civic, líderes do segmento de sedãs médios hoje. Os coreanos destacam essa superioridade no consumo e fazem a comparação com os concorrentes japoneses, inclusive nas informações distribuídas à imprensa no lançamento do sedã no mercado norte-americano. E essas informações não foram contestadas por nenhuma das marcas citadas – um claro indício de que os dados divulgados estão bem próximos da realidade do dia a dia. Mas o Corolla e o Civic, como a maioria dos demais sedãs vendidos hoje aqui, levam vantagem por ter motor flex. O Elantra, pelo menos por enquanto, será comercializado unicamente na versão a gasolina.

Outro ponto de destaque do novo Elantra são as linhas ousadas e orgânicas de sua carroceria, seguindo as formas básicas ditadas pelo design da Hyundai em seus últimos lançamentos. Criadas pelo centro de estilo que a marca coreana mantém na Califórnia, Estados Unidos, além de parecerem fluídicas, são realmente eficientes: seu coeficiente aerodinâmico de forma, o famoso Cx, é de 0,28, valor que revela uma baixa resistência aerodinâmica. Na prática, isso ajuda a proporcionar seus baixos índices de consumo e a melhorar sua performance nas estradas, principalmente onde as velocidades médias são mais altas.

 

ALGUNS DOS PRINCIPAIS CONCORRENTES DO NOVO HYUNDAI

Honda Civic

A nova geração do segundo modelo mais vendido do segmento chega em julho. Mantém o atual motor 1.8, também bastante moderno

Toyota Corolla

Líder do segmento há anos, acaba de ganhar novo motor 1.8, além de ser oferecido também com o propulsor 2.0. É o maior alvo da Hyundai

 

Outra grande qualidade do sedã coreano está no espaço disponível para os passageiros, o maior entre os concorrentes. Quando medimos o volume da cabine, esse Hyundai é mais amplo que Honda Civic, Toyota Corolla, Chevrolet Cruze e Ford Focus. Só perde mesmo para o Nissan Sentra – o mesmo modelo que é vendido aqui no Brasil hoje. Ainda seguindo os padrões da EPA (Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos, que divulga o consumo dos automóveis vendidos lá e os classifica em categorias de acordo com o espaço interno), apenas o Honda e o Toyota são considerados sedãs compactos. Todos os demais modelos citados são classificados como médios. O novo Elantra, enfim, traz um projeto bastante inovador, que certamente o colocará em pouco tempo na lista dos modelos mais vendidos do segmento. O desenho é eficiente em design, aerodinâmica e espaço interno; a mecânica é bastante moderna, conciliando de maneira competente desempenho, baixo consumo e bom comportamento dinâmico; e, finalmente, seu preço é bastante competitivo, principalmente quando consideramos que ele vem completo, com todos os acessórios. Segundo fontes da Hyundai aqui no Brasil revelaram à MOTOR SHOW, o novo Elantra deve custar de R$ 70 mil a R$ 80 mil, dependendo do tipo de transmissão escolhida. Uma excelente novidade entre tantas outras que chegam ao consumidor desse segmento.

 

VW Jetta

Na faixa de preços do Elantra, tem motor 2.0 menos potente, com 120 cv. O design é mais sóbrio, sem os exageros do Elantra, e a marca VW é forte

Renault Fluence

Tem motor 2.0 e um bom pacote de itens de conforto e segurança. Leia mais sobre ele no comparativo com o Sentra, que você confere nesta edição

COMPARTILHAR
Notícia anteriorMotor News
Próxima notíciaRacional e econômico