Enfim, o hibrido

 

 

Quem chega por último tem que fazer melhor. É o que a versão híbrida do Q5, primeiro carro da Audi com essa tecnologia, vai ter que provar quando for lançado na Europa no fim do ano. Sem saber direito para onde vai a indústria, a Audi decidiu seguir vários caminhos. Já tem pronto há alguns anos seu motor flex e tem carros elétricos em testes avançados. Faltava um modelo que juntasse as tecnologias. Surgiu assim esse Q5 híbrido, com um motor 2.0 turbo a combustão e outro, elétrico, de 54 cv. Combinados, geram 245 cv e trabalham em conjunto com uma transmissão tiptronic de oito velocidades.

Depois de dada a partida e liberado o freio, o motorista pode optar pelo modo EV (elétrico). O SUV pode andar só três quilômetros, a uma velocidade constante de 60km/h, sem soltar um grama de poluentes na atmosfera. É muito pouco, é verdade, mas até hoje poucos híbridos conseguiram um resultado melhor.

 

 

O modo D otimiza o consumo dos dois motores, e o S proporciona uma tocada mais esportiva. O consumo médio, de 14,5 km/l, depende do pé do motorista. Aumentando a velocidade, o motor a combustão movimenta o veículo. Em aceleração máxima, o motor elétrico também trabalha, gerando a potência máxima. As trocas entre os motores elétricos e a combustão são imperceptíveis. Tirando o pé do acelerador, o motor elétrico passa a funcionar como gerador, recuperando energia para a bateria.

Internamente, há poucas mudanças. O maior destaque fica no painel, que mostra o funcionamento do sistema, com um medidor da carga da bateria e um indicador que mostra, em tempo real, se o carro está usando ou recarregando a bateria.

Na Europa, o preço do Q5 hibrido será de 53.700 euros, dez mil euros a mais que a versão tradicional. Para o Brasil, os valores ainda não estão totalmente definidos. Mas já é certo que o carro começa a ser vendido ainda no primeiro semestre de 2012.

As infomações sobre o funcionamento do sistema híbrido aparecem na tela multimídia central

 

Audi Q5 Hybrid Quattro

MOTOR híbrido paralelo (gasolina quatro cilindros em linha, 2,0 litros, 16V, comando variável, injeção direta, turbo + elétrico)

TRANSMISSÃO automática sequencial, oito marchas, tração integral, diferencial autoblocante

DIMENSÕES comp.: 4,63 m – larg.: 1,90 m – alt.: 1,63 m

ENTRE-EIXOS 2,812 m

PORTA-MALAS 460 a 1.480 litros

PNEUS 235/55 R19

PESO 1.910 kg

GASOLINA+ELÉTRICO

POTÊNCIA 211 cv de 4.300 a 6.000 rpm + 54 cv = 245 cv

TORQUE 35,7 kgfm de 1.500 a 4.200 rpm + 21,4 kgfm = 48,9 kgfm

VEL. MÁXIMA 225 km/h 0 – 100 km/h 7s1

CONSUMO cidade: 15,2 km/l – estrada: 14,1 km/l

 

COMPARTILHAR
Notícia anteriorC3 Picasso o Aircross urbano
Próxima notíciaBeleza americana