Espetacular!

Os freios ficaram mais leves e eficientes e o painel de instrumentos tem informacões concentradas em um único conjunto

A engenharia da Honda já havia acertado com a CBR 1000RR Fireblade, lançada em 2007. Parecia praticamente impossível fazer uma CBR 1000 ainda melhor. Mas a nova Fireblade, lançada no segundo semestre de 2008, surpreendeu. Importada do Japão, a nova geração chegou por aqui totalmente modificada, mais leve, mais potente (7 cv a mais), mais estável, com melhor frenagem, melhor posição de pilotagem e mais tecnologia. E design mais agressivo.

A nova CBR 1000RR está mais compacta. Os engenheiros optaram por uma carenagem mais curta, com destaque para o conjunto frontal com formas aerodinâmicas e ângulo mais vertical.

Chama a atenção o bonito desenho da carenagem com o farol dando a impressão de uma máscara. O conjunto ficou realmente muito bonito. A nova Honda conta, ainda, com duas entradas de ar na frente, que alimentam a caixa do filtro de ar, agora com capacidade volumétrica, de 9,7 litros.

Com isso, o ar coletado em alta velocidade pressuriza a mistura ar/combustível, aumentando a potência. Inspirada na moto de corrida RC 212V, possui concentração de peso próximo do centro de gravidade com redução de massa nas extremidades, resultando em um comportamento ágil e preciso, além de pilotagem mais esportiva.

As supensões, tanto dianteira quanto traseira, são novas e desenvolvidas nos modelos de competição. Na frente, conta com telescópica invertida (Upside Down), com 120 mm de diâmetro e 110 mm de curso, oferecendo mais conforto, mesmo sendo uma moto esportiva. Falando em dianteira, o pneu escolhido é o 120/70 – ZR17 M/C.

O escape, todo feito em aço inox, está mais leve e passou para a lateral direita da moto

A CBR 1000RR Fireblade é equipada com freios a disco duplo com acionamento hidráulico de quatro pistões na dianteira, cáliper de encaixe radial e diâmetro de 320 mm. Seu peso foi reduzido e está agora com 520g, proporcionando maior eficiência nas frenagens. As pinças representam outra alteração com mudanças no êmbolo de alumínio e nos anéis de fixação dos discos. Já o freio traseiro é a disco, com acionamento por pistão simples, com 220mm de diâmetro.

É da lateral que se consegue observar seu conjunto esportivo e algumas mudanças radicais em relação ao modelo 2007, como o sistema de escapamento que saiu da traseira, debaixo do garupa, e foi posicionado na lateral direita. Além disso, está mais curto, assim como a rabeta da moto. Sua configuração é do tipo 4 x 2 x 1, todo de aço inox. Totalmente diferente dos escapamentos tradicionais, o que ajudou também no peso da moto.

Para a suspensão, a engenharia colocou na traseira Unit Pro Link com 138mm de curso e dez regulagens de pré-carga da mola. Para enfrentar o asfalto, a CBR vem com pneu traseiro 190/50 ZR17 M/C. Para mover a nova Fireblade, a engenharia optou pelo potente motor de 4 cilindros, DOHC, que gera potência de 178,1 cv a 12.000 rpm e 11,4 kgfm de torque máximo. As grandes novidades desse propulsor são o aumento de 7 cv na potência e a cilindrada, que passou de 998 cm3 para 999,8 cm3.. “Com esse motor mais potente, a moto dois quilos mais leve e seuo peso maior estar mais próximo do centro de gravidade, o desempenho da CBR 1000RR melhorou muito.

A moto está com o equilíbrio perfeito, com bastante estabilidade nas curvas, boa de final e mais fácil de pilotar”, diz o piloto Danilo Toribio. “O melhor de tudo está na embreagem, agora deslizante, que suaviza totalmente a reduzida. Uma tecnologia bem avançada”, completa. A CBR 1000RR Fireblade está disponível nas cores preta, vermelha e branca perolizada, ao preço de US$ 31.980 (preço para São Paulo), cerca de R$ 73.554.

 

Veja também

+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA

+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA

+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos

+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas

+ Homem compra Lamborghini após fraude em auxílio emergencial

+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar



COMPARTILHAR
Notícia anteriorMelhor trimestre da história
Próxima notíciaA moda 2010