Esportividade à Francesa

Roberto Assunção

Visto por fora, o Citroën DS4 parece ter apenas duas portas. O design caprichado esconde a abertura das portas traseiras por trás da “lataria”. Por dentro, a estética foi levada tão a sério que os vidros traseiros simplesmente não abrem. Para mim, que raramente ando com mais duas pessoas no veículo, isso não faria diferença – mas, na real, não sei se eu compraria um carro que não abre os vidros traseiros. 

O Citroën DS4 é um carro gostoso de dirigir. Talvez mais na cidade, porque ele não é muito grande. Não parece, mas ele é menor que o Audi A3 Sportback (R$ 112.400), o BMW 116i (R$ 105.950) e o Mercedes Classe A (R$ 110.900). Portanto, não encontrei grandes di culdades para estacionar o DS4 em minha garagem (que, vale frisar, é mais espaçosa do que a média). A posição de dirigir é um dos pontos altos do DS4 – o banco tem até função massagem. O volante de couro, com detalhes cromados, tem uma proporção média que me agradou bastante. A direção é bem leve. O ar-condicionado é automático digital de duas zonas. 

O painel tem um visual futurista e impactante, com boa leitura dos instrumentos. Gostei. O sistema de som também é fácil de operar, mas não me entendi direito com o navegador nem com o bluetooth.

Particularmente eu gosto desse motor 1.6 turbo de 165 cv (é o mesmo que equipa os demais membros da linha DS, entre outros), mas não gostei do câmbio automático nem da ausência de borboletas para a troca de marchas (sei lá, acho meio obrigatório num carro mais esportivo). O DS4 custa R$ 102.990 e vem completo (com seis airbags, por exemplo). Nas cores branca ou vermelha, sobe para R$ 104.330. Mesmo sem shift paddles e sem vidros traseiros que abram, eu indico a compra do Citroën DS4. Só que eu mesmo não compraria, apenas por questão de gosto pessoal. Se é para escolher um carro de charme, por bem menos eu compraria o VW Fusca 2.0 DSG (R$ 91.250), que tem um câmbio automático fantástico e também não abre as janelas traseiras, mas só tem duas portas! Ou então juntaria mais R$ 7.910 e caria com um Classe A 1.6, que custa R$ 110.900, tem 156 cv e, principalmente, oferece um câmbio mais interessante e com shift paddles. 

 

Veja também

+ Fiat faz desconto em toda a linha; preço do Toro cai R$ 32 mil
+ Acesso de fúria de macaco deixa um homem morto e 250 pessoas feridas na Índia
+ Risco de casos graves de Covid é 45% maior em pessoas com sangue do tipo A, segundo pesquisadores europeus,
+ Aprenda a fazer o brigadeiro de paçoca de Ana Maria Braga