Esportivo? Só por fora

Não gosto de falsos esportivos, e o mercado está cheio deles. A GM tem a série SS (até Meriva!), além do Vectra GT 2.0 de apenas 128 cv. A VW tem o Golf Sportline, 1.6 de 103 cv. A Fiat, além do Palio 1.8 R e do Stilo Sporting 1.8, agora tem o Punto Sporting. Mais uma vez, um falso esportivo.

Não na aparência, sua principal qualidade. A frente lembra os Maserati e a esportividade está em todas as linhas. Na versão Sporting, é reforçada por minissaias laterais, faróis máscara negra, detalhes internos vermelhos, ponteira de escapamento cromada, spoiler. Com isso, se constrói uma imagem esportiva.

Suspensão e amortecedores também são adequados ao visual: firmes, fazem o Punto Sporting ser muito bom de curva, sem sacrificar o conforto. Mas na hora de acelerar… a decepção. Com o motor GM 1.8 do Palio, áspero e barulhento, mais 165 kg de peso extra, ele até responde bem ao acelerador (graças ao bom torque de 18/18,5 kgfm a 2.800 rpm e à relação de câmbio reduzida), mas gasta muito combustível.

No mais, o Punto é bem equipado (como deve ser por quase R$ 52 mil), seguro, com boa posição de dirigir. Mas o espaço interno não leva grande vantagem sobre o Palio, e seu porta-malas é até menor. Com esse dinheiro, compraria um Stilo de R$ 48 mil.

Antes de terminar, um pequeno detalhe: o portaluvas deveria ter iluminação quando equipado com o Blue&Me. Achar a entrada USB a noite, para encaixar um pen drive ou iPod, é uma tarefa difícil.

Contraponto

Acho que a esportividade do carro não precisa estar fundamentada unicamente na performance. Mesmo não sendo um primor no desempenho, o Punto Sporting passa sua esportividade nos vários diferenciais de aparência e conforto. Quem anda no hatch tem a sensação de estar em um carro diferenciado. O verdadeiro esportivo chega no início de 2008 com a versão Abarth equipada com motor turbo a gasolina de 150 cv.

Douglas Mendonça – Diretor técnico

Eu também não gosto desses “pseudo-esportivos”. Mas no caso do Punto Sporting acho que podemos analisá-lo sob outro prisma: o do custo/benefício. Um Palio 1.8 R (única versão com o motor igual ao do Punto) custa cerca de R$ 50 mil com equipamentos equivalentes. Ou seja, não dá para dizer que o Punto seja um carro caro. O consumidor leva um visual incrementado e paga o preço justo pelos itens de série. Agora, eu não compraria um Stilo como sugere o Flávio. O modelo, já maduro, deve mudar a qualquer momento.

Ana Flávia Furlan – Chefe de Reportagem

Entre os diferenciais da versão, estão os cintos vermelhos e o revestimento dos bancos. No porta-luvas, a entrada USB precisa de iluminação

Saias laterais e rodas aro 16 conferem o visual esportivo

COMPARTILHAR
Notícia anteriorDe novo um 0km
Próxima notíciaMago dos Motores