Estrela de uma NOVA ERA

Roberto Assunção

Há exatos dois anos, a MOTOR SHOW já trazia esse Mercedes-Benz GLA em sua capa. Com exclusividade, adiantamos design, nome, características, motorização e até a (grande) possibilidade de produção nacional. Dito e feito. O SUV chega agora ao Brasil, ainda importado, e será o principal produto a sair da fábrica de Iracemápolis, São Paulo, em 2016. Mais que isso, é a estrela da NGCC, nova geração de compactos da marca – família de tração dianteira que inclui o Classe A (hatch), o Classe B (monovolume), o CLA (cupê de quatro portas) e, em breve, o CLA Shooting Break (perua esportiva). Junto com o Audi Q3 nacional, atacará o BMW X1 que acabamos de revelar.

“Não é um poser (alguém que finge ser o que não é), é um SUV de verdade”, disse Thomas Weber, engenheiro-chefe responsável pelo desenvolvimento dos carros da marca, ao apresentar o GLA na Espanha. Ele explicou, em seguida, que um SUV de verdade combina estilo, posição de dirigir alta, espaço para carregar tralhas e capacidade offroad. Pela própria explicação, teremos que discordar.

Para começo de conversa, as versões que chegam agora não têm tração nas quatro rodas – e aí uma característica básica dos SUVs tradicionais está eliminada. Disso, porém, a maioria dos consumidores nem faz questão. Eles (e principalmente elas) valorizam mais outra característica dos utilitários-esportivos, a posição de dirigir elevada, que também está ausente no GLA. Ela até pode ser considerada alta se comparada à do CLA, sedã/cupê da família. Na comparação com alguns modelos tradicionais, no entanto, não oferece vantagem. É o preço que se paga por fazer um SUV tão preocupado com a jovialidade e a esportividade.

Já a questão do estilo, o GLA cumpre em parte. Tem rodas grandes, um pouco mais de vão livre do solo, mas a baixa altura não o faz parecer um SUV. É um carro bonito, esportivo, mas está mais para hatch musculoso do que para jipinho. No fim, o único ponto indicado que o GLA cumpre bem é o da versatilidade: mesmo que seu porta-malas seja menor que o de um sedã, o rebatimento dos bancos permite acomodar objetos maiores, bicicletas, etc. 

A novidade chega em três versões, todas equipadas com o 1.6 turbinado do Classe A, hatch no qual se baseia: GLA 200 Advance por R$ 132.900, GLA 200 Vision por R$ 149.900 e a série limitada GLA 200 Vision Black Edition por R$ 152.900. No começo do ano que vem, a marca lança o GLA 250, com motor 2.0 de 211 cv, tração integral e alguma capacidade offroad. Depois, vem o GLA 45 AMG, com 360 cv. Mas agora vamos ver como o GLA se sai diante da atual concorrência. Vire a página e confira.