Estudo: mulheres dirigem melhor e têm seguro mais barato

prefeiruta abriu nova canal para cadastro de veículos isentos do rodízio em SP
prefeiruta abriu nova canal para cadastro de veículos isentos do rodízio em SP

“Mulher ao volante…”. A frase de cunho machista, que fez muitos acreditarem que homens dirigem melhor, é mentira. E essa conclusão vem embasada por um estudo realizado em Estados de todas as regiões do Brasil. De acordo com o levantamento, mulheres dirigem melhor, se envolvem menos em acidentes e por isso pagam menos no seguro do veículo.

+ Quanto custa o seguro dos carros mais vendidos no Brasil
+ Estudo: donos de BMW, Audi e Mercedes são “babacas”
+ OMS: Acidentes de trânsito são a 8ª maior causa de mortes no mundo

De acordo com levantamento conduzido pela Minuto Seguros, a partir de dados da Superintendência de Seguros Privados (Susep), o preço mais baixo para as mulheres na cotação do seguro está relacionado diretamente com o fato de ser um público cujos riscos de sinistros são menores.

“De forma geral, as mulheres são mais cuidadosas ao volante, se envolvem em menos acidentes e, normalmente, os danos causados neles são menores do que os causados em acidentes com motoristas do sexo masculino. Isso se reflete diretamente no preço do seguro”, afirma o sócio-diretor da Minuto Seguros, Manes Erlichman.

De acordo com dados da Susep, o total de sinistros que ocorrem com mulheres gera valores menores de indenização do que os que acontecem com os homens, o que ajuda a explicar o fato do público feminino ser considerado de menor risco por parte das seguradoras.

Para se ter uma ideia, a soma das indenizações pagas às mulheres representa cerca de 63% do total do valor segurado. Isso significa que a cada 100 reais de prêmios de seguro pagos por elas, a indenização que recebem é de 63. No que diz respeito aos homens, as indenizações são equivalentes a algo em torno de 66% do total segurado.

Os dados da Susep englobam números dos estados da Bahia e do Pará, do Distrito Federal e das regiões metropolitanas de São Paulo e Curitiba.

Como mulheres dirigem melhor, o preço do seguro de carro para motoristas do sexo feminino é menor do que para os homens em todos os cenários levados em conta: média de valores entre Estados, faixa etária e categorias de automóvel por preço. O estudo captou dados em São Paulo, Paraná, Bahia, Pará e Distrito Federal.

Entre as localidades utilizadas como base para o estudo, as mulheres pagam, em média, 15% a menos do que os homens. No Distrito Federal, a diferença no valor do seguro é de 20%. Já no Paraná, o preço para o público feminino é 19% menor, enquanto no Pará é de 16%, em São Paulo de 14%, e na Bahia, de 10%.

Quando se fala em diferenças de preços por faixa etária, novamente o público feminino possui, de maneira geral, cotações de seguro mais em conta quando se compara ao valor para os homens. Para as mulheres de até 25 anos o preço é, em média, 23% mais barato.

Na faixa entre 26 e 30 anos, o valor que o público feminino paga é 17% menor, em média. Já de 31 a 35 anos, no geral, a diferença é de 20%, enquanto entre 36 e 40 anos é de 16%. De 41 a 50 anos, o preço é 12% mais baixo e para mulheres de 50 anos ou mais, a variação para menos fica na casa dos 3%.

Na comparação que leva em conta as diferentes faixas de preço de veículos, as mulheres também recebem uma cotação, em média, menor do que os homens. Entre os automóveis que custam de R$ 70 mil a R$ 100 mil, por exemplo, elas pagam 18% a menos do que eles, a maior diferença considerando este quesito. A menor diferença está na faixa dos veículos de valor entre R$ 20 mil e R$ 25 mil, com 6% que, ainda assim, mostra que o preço para público feminino é mais baixo.

Já para carros cujo valor fica na casa dos R$ 25 mil a R$ 30 mil, o valor do seguro é 11% mais baixo para o público feminino. Mesma porcentagem para a faixa dos veículos que custam entre R$ 35 mil a R$ 40 mil. De R$ 40 mil a R$ 55 mil, o preço médio é 14% menor. Por fim, na faixa que compreende automóveis entre R$ 55 mil e R$ 70 mil, a diferença é de 11% a menos no valor do seguro para mulheres.

 

 

Veja também

+ A biblioteca básica do motociclista cool

+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas

+ Homem compra Lamborghini após fraude em auxílio emergencial

+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar