Chevrolet Corvette: ao volante do novo C8 (uma Ferrari americana?)

Aceleramos o novo Chevrolet Corvette C8. Ele mostra que, em certos momentos, não dá mais pra adiar. Isso acontece quando a tradição, de maneira quase sarcástica, se tornando um peso que impede você de evoluir. Aí é preciso revolucionar. Drasticamente. Apostar todas as suas fichas. 

Veja também

+ Ferrari F50 1995 pode ser leiloada por R$ 15 mi
+ Moto Guzzi lança V85 TT Travel, aventureira com toques retrô
+ Um Bugatti no seu pulso
+ BMW R9T, uma moto ultrafuturista

Foi exatamente isso que fez a Chevrolet no dia 3 de fevereiro, em Bowling Green, uma pequena Maranello no coração de Kentucky, EUA. Lá, ao longo de 67 anos, nasceram sete gerações de Corvettes. Nesse dia, começou a produção da oitava (C8, como chama a marca). O novo Chevrolet Corvette traz uma novidade que vem tentando engenheiros e gerentes há décadas: o motor central, que hoje é um sacrilégio, mas amanhã será tradição.

Abram espaço

Para abrir espaço para o V8 do novo Chevrolet Corvette C8, você senta mais à frente: uma configuração de cabine avançada, que significa que você não há mais aquele capô “infinito”. Ele acaba parecendo um caça da força aérea, mas, no geral, ainda é um Corvette. Tudo bem, não o que conhecemos. 

O banco do motorista também dá a sensação de se estar em um caça. Tudo gira em torno do motorista: painel digital de 12 polegadas amplamente reconfigurável, o display frontal e uma tela central de 8 polegadas. 

A extremidade alta que envolve o banco do motorista do Chevrolet Corvette C8 enfatiza a própria idéia do cockpit e abriga os botões de controle do ar, que são mais belos do que confortáveis – assim como o volante com uma coroa vagamente quadrada. 

2020 Chevrolet Corvette Stingray

Um assento ligeiramente mais baixo não seria ruim, especialmente para aqueles mais altos, e às vezes o passageiro se esforça para encontrar a acomodação certa para o cotovelo esquerdo, novamente devido à configuração mencionada. 

Por outro lado, o acabamento deste novo Chevrolet Corvette C8 está longe dos padrões americanos, normalmente não muito refinados. Agora há couro, metal, tecido de camurça… Se desejado, até fibra de carbono.

Outro estilo (de guiar)

Chevrolet Corvette C8
2020 Chevrolet Corvette Stingray

O Chevrolet Corvette C8 que estou dirigindo, seguindo a tradição, se parece muito com um targa, com o painel do teto que desliza até o porta-malas, logo atrás do motor. Para dar uma idéia das dimensões, os designers usam a clássica unidade de medida de sacolas de golfe. Nesse caso, cabem duas. Somando o compartimento frontal, são 357 litros.

O Corvette C8 é feito (também) para agradar a um público mais jovem do que no passado, mas no restrito segmento de carros de alto desempenho, ele continua ocupando o mesmo nicho. Como se quisesse dizer que, mesmo que agora pareça um Ferrari F8 Tributo ou um Lamborghini Huracán, não é um supercarro no sentido mais restrito da palavra. 

O Chevrolet Corvette C8 é um esportivo levado ao extremo. Um vice-supercarro, colocá-lo desta forma. E a um preço extraordinariamente interessante: nos EUA, começa em US$ 59.995 (R$ 310 mil), um número que certamente será bem maior o Brasil se importado oficialmente (importadores independentes estavam vendendo a R$ 600 mil antes da alta do dólar). Um um carro esportivo de primeira classe ao preço de um BMW X5.

Ao longo das décadas, tudo o que o Corvette havia feito tudo o que podia com motor dianteiro, e pedir mais era impossível. Por isso, desde os rumores sobre a mudança de layout, esperávamos algo que pudesse ser uma revelação ou uma revolução. Em suma, as expectativas eram grandes. E quanto maior a expectativa, maior pode ser a decepção.

O motor central, no mínimo, é uma maneira de ter mais credibilidade no Olimpo dos esportivos, porque altera o handling. E não se apenas o aprimora, mas, de fato, muda todas as sensações dele. Agora, será que o Chevrolet Corvette o C8 é uma Ferrari americana? Ou, simplesmente, o melhor Corvette da história?

Na pista…

2020 Chevrolet Corvette Stingray

Vamos começar pelo V8 small block, que, neste Chevrolet Corvette C8, não importa sua localização, continua sendo protagonista. Não terá os atrativos da novidade ou requinte, mas tem carisma para dar e vender, muita prontidão e empurra forte e bem. 

Agora colocado atrás do Chevrolet Corvette C8, dá a ele um controle desconhecido de seus ancestrais. Em baixas rotações, alguns decibéis a mais não seriam ruins, mas, para compensar, pelo menos em parte, a caixa de dupla embreagem passa vigorosamente para a próxima marcha. 

O Chevrolet Corvette C8 se mostra um pouco teimoso por não querer desistir das marchas quando você dirige mais esportivamente. Isso na pista, pois na estrada jogar com os limites do carro é impensável, especialmente aqui nos arredores de Las Vegas, onde você se encontra frequentemente com policiais e sua proverbial compreensão.

Vamos voltar à pista, então. A personalidade desse Chevrolet Corvette C8 Stingray é menos explosiva e única do que nas décadas anteriores, porém mais imediata. E o carro permanece estável onde você o coloca: pode parecer uma revolução, e pelo menos em parte é, mas acima de tudo, é uma atualização do mundo do Corvette. A maior de sempre, que às vezes o faz parecer um esportivos que custa o dobro – ou mais, porque quanto mais forte você for, mais confortável ela fica. Não é claro como uma Ferrari, não muda de direção como uma McLaren, não é eficaz como uma Lamborghini. É menos refinado e adequado que eles, mas ainda emocionante.

Acima de tudo, nunca havia sido visto um Corvette tão inclinado à compreensão e ao perdão. O sobresterço excessivo não está sempre esperando por você, como antes. Ele é progressivo, dá confiança e permite que você se aproxime de seus limites e brinque com eles, sem o risco sair de traseira. 

A direção do Chevrolet Corvette C8 é muito rápida, e dá para facilmente colocar as rodas onde se quer. Há um equilíbrio precário entre a frente e a traseira: o motor foi movido para trás precisamente para melhorar a tração e a estabilidade. De fato, as transferências de força e carga não devem mais ser dosadas com precisão. Às vezes, parece realmente um supercarro, e acaba convencendo o motorista. Uma Ferrari americana, sim senhor.

FICHA TÉCNICA

CHEVROLET CORVETTE C8
Preço nos EUA: R$ 60.000 (R$ 310.000)
Preço no Brasil (estimado): R$ 650.000

Chevrolet Corvette C8
Motor: central-traseiro, 8 cilindros em V 6.1, 16V
Cilindrada: 6126 cm3
Combustível: gasolina
Potência: 495 cv a 6.450 rpm
Torque: 48 kgfm a 5.150 rpm
Câmbio: automatizado, dupla embreagem, oito marchas
Tração: traseira
Dimensões: 4,63 m (c), 1,93 m (l), 1,23 m (a)
Entre-eixos: 2,72 m
Porta-malas: 357 litros
Peso: 1.605 kg
0-100 km/h: 3s (aproximado)
Velocidade máxima: 312 km/h

Veja também

+ A biblioteca básica do motociclista cool
+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas
+ Homem compra Lamborghini após fraude em auxílio emergencial
+ Os 20 carros 1.0 mais econômicos do mercado brasileiro
+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar