EXCLUSIVO: crossover T-Cross será feito no Brasil, revela fonte da Volkswagen

Ao contrário do que vem sendo noticiado, o crossover que a Volkswagen produzirá no Brasil a partir de 2018 não será o T-Roc, mas sim o T-Cross. A informação foi dada por uma alta fonte da Volks numa conversa reservada com Motor Show. O T-Cross medirá cerca de 4,00 m de comprimento e 2,50 m de entre-eixos; portanto, será menor que o T-Roc, que medirá 4,20 e 2,64 metros, respectivamente. O VW T-Cross fará parte da nova geração do Gol e do Voyage, que passarão a ser produzidos na plataforma MQB (a mesma do Golf, mas numa configuração menor, chamada de A0). Nenhuma imagem do T-Cross foi divulgada até hoje, mas em breve ele será conhecido: a Volkswagen vai mostrar seu conceito no Salão de Genebra, na primeira semana de março. (Nota da Redação: a Volkswagen divulgou no dia 22, três semanas após a publicação desta reportagem, as primeiras prévias do T-Cross; elas foram adicionadas à galeria acima).

Na Europa, o novo T-Cross será rival do Nissan Juke e do Mazda CX-3. No Brasil, ele brigará diretamente com o futuro Honda WR-V, que será menor que o HR-V. Sua chegada ao mercado também poderá provocar uma mudança no portfólio da Volkswagen do Brasil, pois ele ocuparia o lugar que hoje é destinado ao CrossFox. Apesar de o visual do T-Cross ainda ser um mistério, é quase certo que o chefão de design da Volks, Klaus Bischoff, manterá no T-Cross elementos que já são conhecidos no T-Roc, como a grade dianteira e os arcos das caixas de roda.

E o T-Roc?

Nossa fonte não falou nada sobre o T-Roc, mas suas chances de ser lançado no Brasil diminuíram. Junto com o T-Cross, com certeza ele não chegará. Entretanto, como o mercado de SUVs/crossovers é o que mais cresce no Brasil, não se pode descartar a produção do T-Roc, que também é feito na plataforma MQB, na configuração A1. Afinal, ele seria um rival direito para o Honda HR-V e o Ford EcoSport. Mas isso não é tudo. Se estrategicamente a produção do T-Roc continua a fazer sentido mesmo com a decisão de fabricar o T-Cross no Brasil, economicamente a realidade é outra. Como cerca de metade dos custos de produção dos carros nacionais são atrelados ao dólar, a Volkswagen não conseguiu fazer um Golf nacional “barato”. Assim, o T-Roc certamente seria bem mais caro do que o HR-V, já que o próprio Golf está na faixa de preço do Honda.