F1: Equipe Haas dispensa piloto e patrocinador russo

Empresa Uralkali e o piloto Nikita Mazepin tiveram seus contratos encerrados com a equipe norte-americana

0
86
russo
Foto: Divulgação

Terminou de forma melancólica a participação do russo Nikita Mazepin na Fórmula 1. Num comunicado da equipe Haas na manhã deste sábado, o time norte-americano informou que devido a Guerra na Ucrânia resolveu encerrar os contratos com o piloto e também com o patrocinador Uralkali, que garantia a presença de Nikita no time com seu aporte financeiro.

“A Haas F1 Team decidiu terminar, com efeito imediato, a parceria com a Uralkali e o contrato do piloto do Nikita Mazepin. Assim como o resto da comunidade da Fórmula 1, o time está chocado e triste pela invasão da Ucrânia e deseja pôr um fim pacífico ao conflito”, informou a nota do time.

A sequência de Mazepin na Haas já havia sido colocado em cheque nos testes de pré-temporada, quando a equipe retirou o nome da UralKali e as cores da bandeira russa de seu carro no último dia de atividades na pista espanhola de Barcelona.


+ Fórmula 1 cancela GP da Rússia devido a Guerra na Ucrânia
+ Fórmula 1 bate recorde de buscas no Google; veja o que é mais procurado
+ F1: Mercedes traz ‘flecha de prata’ de volta em 2022
+ Emerson Fittipaldi: minha última vitória na Fórmula 1

Críticas e piadas

O piloto estreou na Fórmula 1 em 2021 e foi muito criticado por seu desempenho em pista, inclusive pelos outros pilotos da categoria que o acusavam de dificultar as ultrapassagens em treinos e corrida, mesmo sendo retardatário.

Virou piada na internet pela sequência de erros, tendo seu nome trocado para “MazeSpin” (spin significa “rodada” em inglês) em memes sobre a categoria. A brincadeira persistiu até ao anúncio de sua dispensa, quando foi lembrado que o russo deixou a Fórmula 1 com mais rodadas do que largadas (22 rodadas contra 21 participações em corridas). Seu melhor resultado foi o 14º lugar no Grande Prêmio do Azerbaijão.

Desde o início da invasão russa em território ucraniano, a Fórmula 1 seguiu a tendência mundial de se afastar do país comandado por Vladimir Putin, cancelando o Grande Prêmio da Rússia de 2022 e na sequência cancelando o contrato com os organizadores da prova também para os anos seguintes.

Brasileiro de olho na vaga

O brasileiro Pietro Fittipaldi, piloto reserva da Haas, é um dos candidatos a assumir a vaga deixada por Mazepin. A relação do neto de Emerson Fittipaldi com o time norte-americano é longa, desde 2019, incluindo duas corridas de Pietro na temporada de 2020 como substituto do então piloto titular, o francês Romain Grosjean que se recuperava de um forte acidente no GP do Bahrein.

A imprensa européia já dá como certa a presença do brasileiro na segunda rodada de testes de pré-temporada, que será realizada entre os dias 10 e 12 de março no Bahrein, local também do início do campeonato no dia 20 de março. O principal concorrente do brasileiro à vaga é o italiano Antonio Giovinazzi, que defendeu a Alfa Romeo nos últimos três anos e ficou sem equipe para 2022.

MAIS NA MOTOR SHOW: