Família 2009

1. S10 Executive

2. Blazer Advantage

3. S10 Advantage

4. Blazer Colina

5. S10 Executive

Abaixo, o motor 2.4 Flexpower, agora oferecido também na S10 cabine simples

A GM apresentou a linha 2009 das famílias S10 e Blazer. Ao contrário do que poderia se imaginar, as mudanças não foram profundas e, na realidade, tratouse apenas de evolução da família. Lançada em 1995 junto com a S10, a soma do modelo foi de meio milhão de unidades nesses 13 anos, sem a S10 deixar de ser líder. No modelo 2009, ambas passaram por uma remodelação estilística, receberam novos acessórios e novas versões. A chegada da Captiva, no segundo semestre, antecipou a linha 2009 e foi uma forma de a GM sinalizar que a S10, e, principalmente, a Blazer, continuam no mercado.

Uma proposta interessante foi a volta da S10 cabine simples 2.4 flex de 147/141 cv (álcool/gasolina). Nessa versão, a marca oferecia apenas o motor 2.8 diesel de 140 cv: seu preço era inviável para quem não rodasse muito para compensar seu baixo custo por quilômetro rodado. Agora, retomaram a S10 de origem, agora flex, que permite a transformação para GNV. O novo modelo de entrada terá preço ao redor dos R$ 47 / R$ 48 mil. Com baixo custo de manutenção, é uma forte concorrente à Ford Ranger Sport.

Acima, os bancos com regulagem elétrica, oferecidos nas versões mais caras. Abaixo, o painel, que sofreu apenas pequenas mudanças, e agora tem iluminação em azul

A nova S10 cabine simples, com motor flex e vendida por menos de

R$ 50 mil, chega para brigar com a Ranger Sport

Detentora de um terço do mercado de picapes, no primeiro trimestre o modelo cresceu 62% em relação ao primeiro trimestre do ano passado. Não é à toa que a GM pensa em vender 3.000 unidades/ mês de S10/Blazer, ampliando a liderança. Infelizmente, o modelo já tem longas filas de espera, que devem aumentar com a linha 2009.

As principais alterações estéticas da família estão na tomada de ar sobre o capô (meramente estética), grade, pára-choque dianteiro e lanternas traseiras. Além disso, as rodas de liga leve (aro 16) têm dois novos desenhos, dependendo da versão. No interior, o novo grafismo do painel de instrumentos faz conjunto com uma iluminação de fundo azul. O volante de direção (nas versões sem airbags) tem novo desenho, mais funcional e moderno. Na versão top de linha, a Executive, os bancos são revestidos em couro e há novos apliques em madeira. Além da opção pelo motor flex na versão cabine simples, outra importante alteração mecânica foi a adoção de um novo tanque de combustível de 80 litros (eram 67): mais autonomia para quem roda em regiões nas quais os postos são um tanto raros.

À direita, o painel da versão Executive, top de linha, que vem com detalhes em madeira e volante com novo desenho