Feito sob medida

0
201
Roberto Assunção

Visto de frente, este Audi A3 é semelhante aos demais. Então, qual é a novidade? Repare na traseira e no seu “bumbum” saltado. Isso mesmo. Depois das versões Sport e Sportback, a Audi inicia neste mês a comercialização do A3 Sedan. Pensado para mercados emergentes, como o Brasil, ele foi apresentado durante o Salão de Xangai, na China, em abril do ano passado – MOTOR SHOW já havia revelado suas primeiras informações e projeções na edição de junho de 2011. Agora, ele veio para cá importado da Hungria, mas será produzido no Brasil, a partir de 2015, na fábrica do Grupo Volkswagen em São José dos Pinhais (PR) – mesmo lugar de onde sairá o VW Golf de sétima geração e o SUV Audi Q3, no começo de 2016.

O Audi A3 Sedan é derivado de hatch, mas ele deixa escapar a impressão de já ter nascido como um três volumes, devido ao seu desenho limpo e proporções bastante harmoniosas. Ele também é montado sobre a plataforma modular MQB, que estreou no irmão A3 hatch e no VW Golf VII. Comparado à versão A3 Sportback, é 15 cm maior no comprimento, 1 cm mais largo e a altura diminuiu em 1 cm. A distância entre os eixos manteve-se inalterada. Mesmo assim, um quinto passageiro não encontra muito espaço para as pernas devido ao túnel de transmissão alto e pessoas de alta estatura podem raspar a cabeça no teto.


Um dos grandes destaques desse Audi está no seu porta-malas, com espaço para 425 litros – podendo ser ampliado para 880 litros com o rebatimento do banco traseiro. Com essas dimensões de sedã compacto, o A3 Sedan fi ca em pé de igualdade com seu compatriota e também principal oponente, o Mercedes-Benz CLA (que será avaliado na MOTOR SHOW de fevereiro). Este último será feito a partir de 2016 na fábrica da Mercedes-Benz em Iracemápolis (SP), assim como o Classe C e o jipinho GLA. Falando em valores, o A3 Sedan chega por iniciais R$ 116.400. Ou seja, tem valor próximo do A3 Sport (R$ 115.000). Já o A3 Sportback 1.4 sai por R$ 95.900 e o A4 2.0 custa R$ 125.900. Todos esses últimos modelos, em suas versões de entrada. De acordo com a Audi, o A3 Sedan será responsável por cerca de 30% das vendas da marca no mercado brasileiro.

A dirigibilidade do A3 Sedan é bastante semelhante à dos irmãos hatch. No teste feito em circuito fechado, dentro de um condomínio, no interior de São Paulo, comprovamos todo o seu desempenho. E não é pouco, não. Ao volante, o motor de 1,8 litro, auxiliado por turbo e injeção direta de combustível, oferece saudáveis 180 cv. As acelerações são vigorosas e ajudadas, principalmente, pelo bom torque disponível já em baixos giros. Coopera com essa pegada esportiva o câmbio manual automatizado de dupla embreagem, que passa as sete marchas de forma ágil e imperceptível. Dá para fazer trocas sequenciais pelas borboletas atrás do volante ou pela própria alavanca.

Para ficar ainda melhor, o sistema Audi Drive Select permite selecionar os modos de condução Efficiency, Comfort, Auto, Dynamic e Individual, que alteram os parâmetros das respostas do pedal do acelerador, da já direta caixa de direção elétrica e da transmissão, entre outros. O carro tem sistema start-stop, que desliga o motor durante breves paradas para ajudar na economia de combustível. O fabricante ainda não tem uma definição da vinda das versões com bloco 1.4 turbo de 140 cv (utilizado no VW Golf Highline). No entanto, está confirmada a chegada do S3 Sedan para março (veja nossa avaliação na página 26).

A estabilidade desse A3 é beneficiada pela distribuição de peso próxima do ideal (59% para o eixo dianteiro e 41% para o traseiro) e pelo conjunto de suspensões bem acertado. Já as rodas são de aro 17 polegadas. Em caso de excesso, a segurança é garantida pelos airbags dianteiros, laterais e de joelho para o motorista, além dos controles eletrônicos de estabilidade e de tração.

As primeiras unidades importadas para cá são equipadas com o Pacote Brasil. Entre os equipamentos disponíveis há ar-condicionado de duas zonas, assento do motorista em couro sintético e com ajustes elétricos, sensor crepuscular e de chuva, teto solar elétrico e faróis bixenônio. Já a central multimídia é um opcional (R$ 9.900), que adiciona o sistema de navegação 3D com informações de cada cidade, leitor de DVD e disco rígido com capacidade para 40 GB. A pintura metálica ou perolizada sai por R$ 1.000. O controle de cruzeiro adaptativo é de série nas versões mais caras. Além de voltar a produzir carros no Brasil, a Audi, com o A3 Sedan, estreia no concorrido segmento de sedãs compactos. Este ano, a briga vai ser muito interessante, não é mesmo?

SHARE
Artigo anteriorMudança de Ares
Próximo artigoEu sou mesmo exagerado