Fernando de Noronha terá só carros elétricos até 2030

Iniciativa faz parte do projeto "Noronha Carbono Zero", que tem o objetivo de zerar a emissão do carbono no arquipélago

Divulgação

O Arquipélago de Fernando de Noronha será o primeiro território brasileiro a banir os carros com motores a combustão. Até 2030, o governo de Pernambuco (que administra as ilhas) pretende impedir no local a circulação de veículos movidos a etanol, gasolina ou diesel.

A decisão está em um Decreto-Lei enviado pelo governador Paulo Câmara à Assembleia Legislativa do Estado. Batizado de “Noronha Carbono Zero”, o projeto prevê que o banimento seja feita em duas etapas: na primeira, que entra em vigor a partir de 10 de agosto de 2022, será proibida a entrada de arquipélago de novos automóveis a combustão, sendo permitida a circulação apenas dos veículos “importados” até a data.

O prazo se encerra em 10 de agosto de 2030, quando toda a frota local deverá ser compostos por carros de passeio e veículos comerciais de propulsão limpa.

Aproveitando a deixa, a Renault iniciou a venda de carros elétricos com condições especiais de pagamento para os moradores locais, além de doar para a administração de Fernando de Noronha seis veículos, sendo três Zoe, dois Twizy e um Kangoo Z.E., além de quatro carregadores de baterias.