Ferrari de 1962 é vendida por R$ 197 milhões e bate recorde

Recorde anterior, de 2014, pertencia a outra Ferrari 250 GTO

0
4323
Reprodução/RM Sotheby's

Uma Ferrari 250 GTO de 1962 foi vendida por R$ 48,4 milhões (cerca de R$ 197 milhões) no último sábado (25), nos Estados Unidos, e bateu o recorde de automóvel mais caro já vendido em um leilão.

Com chassi 3413 GT, o carro recordista foi o terceiro exemplar do modelo produzido pela Ferrari. Pilotado por Phil Hill (o único piloto nascido nos Estados Unidos a vencer uma corrida na Fórmula 1) na edição de 1962 da Targa Florio (tradicional prova disputada nas estradas italianas entre os anos de 1906 e 1977), passou pelas mãos de vários pilotos antes de virar um disputado veículo de coleção. Mas mesmo assim ainda está equipada com o mesmo motor, câmbio, eixo traseiro e carroceria com que saiu da fábrica em 1962.


O recorde anterior pertencia a outra Ferrari 250 GTO, vendida em 2014 por US$ 38,1 milhões. Considerada uma lenda pelos fãs da casa de Maranello, a 250 GTO teve uma produção de apenas 36 exemplares, o que ajuda a explicar os valores recordes atingidos pelo esportivo quando uma unidade é oferecida para venda.