Fiat confirma produção de novos motores turbo no Brasil

Novos propulsores deverão chegar ao mercado em 2020; marca anunciou ainda produção de três novos modelos na fábrica de Betim (MG)

Vista aérea da fábrica da Fiat em Betim (MG) (Divulgação)

A Fiat Chrysler Automobiles (FCA) confirmou nesta quarta-feira (22), durante um evento na fábrica da Fiat em Betim (MG), o investimento de R$ 500 milhões na unidade industrial mineira para a produção dos novos motores GSE T3, T4 e E4.

Parte da família Firefly, os novos propulsores são mais sofisticados dos que os empregados atualmente nos Fiat Mobi, Uno, Cronos e Argo, trazendo, além do turbo, tecnologias como a injeção direta de combustível e o cabeçote multiválvulas.

Lançados na Europa no ano passado, o T3 é um 1.0 de três cilindros e 120 cv, enquanto o T4 é um 1.3 de quatro cilindros que desenvolve 180 cv no mercado europeu. Já o E4 será um motor turbo otimizado para etanol, que está em desenvolvimento pela engenharia brasileira da FCA.

A expectativa é de que os primeiros motores T3 e T4 cheguem até o final de 2020, atendendo os mercados local e europeu. A marca não divulgou quais serão os primeiros modelos equipados com eles no Brasil. Vale lembrar que o T4 já é empregado desde o ano passado no Jeep Renegade vendido na Europa.

Além da fabrica de motores de Betim, onde são produzidos atualmente os propulsores Fire e Firefly, a FCA conta ainda com uma planta industrial em Campo Largo (PR), onde são feitos os motores E.torQ.

A FCA confirmou ainda a produção — a partir de 2020 — de três novos modelos na fábrica de Betim, sendo que dois deles serão SUVs. Até 2024, a companhia programa 25 lançamentos, entre novos modelos, atualizações de veículos em linha e séries especiais.