Ford EcoSport, ex-campeão que volta ao jogo

Nenhum outro crossover ou SUV até hoje repetiu o sucesso do Ford EcoSport, líder de vendas entre 2003 e 2011 (primeira geração) e em 2013-2014 (segunda). Atacado por todos os lados, ele sucumbiu em 2015 para Honda HR-V, Jeep Renegade & cia. Este ano, chegou a uma “quase nova” geração: a base não mudou, o visual ganhou retoques, mas cabine e mecânica trouxeram tantas novidades que o colocaram de volta na disputa – já disputa o quarto lugar em vendas na categoria com o Nissan Kicks.

Os maiores destaques positivos desse novo Eco são justamente os negativos do passado: acabamento e central multimídia. Os materiais são nobres, e a central “flutuante” com Apple CarPlay e Android Auto tem interface, tela e velocidade imbatíveis. A lista de equipamentos ficou maior, com recursos como teto solar, chave presencial, faróis de xenônio e até monitores de ponto-cego e tráfego cruzado na versão de topo.

O consumo se mantém bom, mas vale frisar que com o novo motor 3 cilindros 1.5 a melhoria teria sido maior se tivesse mantido o câmbio automatizado. O novo automático de seis marchas ganha do Powershift em conforto e confiabilidade, mas “rouba” parte da economia do motor. Já o 2.0 foi trocado pelo do Focus, com injeção direta e ótimos 176 cv. É econômico na estrada, mas não na cidade – onde o tricilíndrico é que se destaca.

Todas essas melhorias, porém, não aumentaram o espaço na cabine e no porta-malas, outros pontos em que o ex-campeão tinha ficado para trás em relação a rivais mais modernos como Hyundai Creta e Honda HR-V. Mas se essas não são as suas prioridades, ele pode ser sim uma ótima compra. Pena que a versão 4WD ainda não esteja disponível na “nova geração”.

Das que estão à venda, as mais baratas são bastante interessantes, principalmente por já oferecerem itens de segurança como ESP e sete airbags, além de uma boa central multimídia (com tela menor). Mas prefira as com o câmbio manual, que fazem mais sentido para aproveitar a economia do 3 cilindros. Agora, se você quer câmbio automático e mais mimos, a Freestyle AT fica cara, e muito próxima da 2.0 Titanium – que seria nossa escolha. Poucos modelos oferecem um pacote tão atraente por menos de R$ 100 mil.


Ficha técnica:

Ford EcoSport Titanium 2.0

Preço versão 1.5 SE: R$ 76.990
Preço versão 1.5 FreeStyle: R$ 82.490
Preço versão 1.5 SE AT: R$ 82.990
Preço versão 1.5 FreeStyle AT: R$ 88.490
Preço versão 2.0 Titanium AT: R$ 95.890
Motor: 4 cilindros em linha 2.0, 16V, duplo comando variável, injeção direta
Cilindrada: 1999 cm3
Combustível: flex
Potência: 170 cv a 6.500 rpm (g) e 176 cv a 6.500 rpm (e)
Torque: 20,6 kgfm a 4.500 rpm (g) e 22,5 kgfm a 4.500 rpm (e)
Câmbio: automático sequencial, seis marchas
Direção: elétrica
Suspensões: MacPherson (d) e eixo de torção (t)
Freios: disco ventilado (d) e tambor (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 4,269 m (c), 1,765 m (l), 1,693 m(a)
Entre-eixos: 2,519 m
Pneus: 205/50 R17
Porta-malas: 356 a 1.178 litros
Tanque: 52 litros
Peso: 1.359 kg
0-100 km/h: 10s2 (g)* e 9s7 (e)
Velocidade máxima: 190 km/h (e)
Consumo cidade: 8,8 km/l (g) e 6,1 km/l (e)
Consumo estrada: 12 km/l (g) e 8,3 km/l (e)
Nota do Inmetro: C
Classificação na categoria: B (Utilitário Esportivo Compacto)

NOSSO VEREDICTO
Motor
Câmbio
Desempenho
Consumo
Segurança
Equipamentos
Multimídia
Conforto
Porta-malas
Prazer ao dirigir
COMPARTILHAR
Notícia anteriorMercedes-Benz GLA
Próxima notíciaNissan Kicks melhora em custo/benefício
blog comments powered by Disqus