Ford Ka na onda dos 3 cilindros

Divulgação

O motor 3 cilindros de até 82 cv dos Volkswagen Up e Fox Bluemotion era o 1.0 mais potente do Brasil. Não será mais. A Ford entrou na onda e também apresentou o seu 3 cilindros. Com 80/85 cv gasolina/etanol), o motor, chamado pela marca de 1.0 3C Duplo Comando Flex, foi apresentado na inauguração da fábrica de motores de Camaçari, na Bahia.

“Nada de fazer motor mais simples para brasileiros. É um motor refinado, inovador, eficiente”, diz Volker Heumann, gerente de desenvolvimento de motores da Ford América Latina. Não exatamente. Da família EcoBoost, na Europa a unidade tem versões mais sofisticadas, GDI (injeção direta) e GTDI (turbo). Na última, alcança de 120 a 125 cv e torque de até 20,4 kgfm (mais do que muito motor 2.0), o que o torna capaz de equipar carros como o Ford Mondeo (nosso Fusion). Aqui, a princípio, ele não usará tais tecnologias. Nem precisa. Como apresentado, com duplo comando, variável na admissão e no escape (TiVCT), já é líder nacional em potência e torque. Tem coletor de escape integrado, correia banhada em óleo – que exige manutenção só com 240.000 quilômetros – e pode até fazer do Ka o carro  ais econômico do Brasil. Pena que a força máxima, 10,7 kgfm com etanol, venha só a 4.500 rpm. Nesse ponto, vantagem para a Volks, cujo 3 cilindros é menos agudo: tem 10,4 kgfm de força a 3.000 rpm. E Up deve levar vantagem no peso-potência, pois o motor com bloco de ferro da Ford é mais pesado, e será aplicado no Ka, um carro maior. 

Inaugurada a fábrica, produzidos os motores, falta o carro que o abrigará. Apenas com o lançamento do Novo Ka, depois da Copa, o Ford roubará da Volks o título de carro 1.0 mais potente do País. E o mesmo motor deve ir para a versão sedã do Ka. A capacidade da fábrica é de 210.000 motores/ano. Você ainda vai ouvir falar muito desse motor. Mas, por enquanto, ele é um coração sem corpo.

Veja também

+ A biblioteca básica do motociclista cool

+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas

+ Homem compra Lamborghini após fraude em auxílio emergencial

+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar