Ford quer eliminar “cheiro de carro novo” dos automóveis

Amado por muitos, aroma é considerado um incômodo pelos clientes chineses

Roberto Assunção

A Ford está trabalhando em um método para reduzir o “cheiro de carro novo” dos automóveis que acabaram de deixar a linha de produção. É o que aponta um pedido de registro feito pela montadora americana junto ao escritório de patentes dos Estados Unidos (leia aqui, em inglês) e revelado pelo site australiano Car Advice.

A ideia é um equipamento — voltado para carros autônomos e semi-autônomos — capaz de guiar o veículo automaticamente para locais com maior incidência de luz solar, onde seria realizado um ciclo para acelerar a eliminação dos compostos orgânicos voláteis (responsáveis pelo “cheiro de carro novo”), que inclui a abertura de janelas e o acionamento do aquecedor do automóvel.

Embora seja causado pelas substâncias químicas e materiais usados na produção, o “cheiro de carro novo” é amado por boa parte dos fãs de automóveis. Mas na China, atualmente o maior mercado automotivo do mundo, o aroma é considerado um incômodo por boa parte dos compradores. O que ajuda a explicar a decisão da marca americana de eliminar o cheiro de 0km dos seus veículos.