Ford Ranger retorna aos EUA com motor 2.3 EcoBoost

Picape média ganha propulsor de Mustang e novos equipamentos para voltar ao mercado americano

Ford Ranger (Foto: Divulgação)

Fora do mercado americano desde 2012, a Ford Ranger será comercializada novamente no país até o final do ano. E para concorrer com recém-lançada nova geração da RAM 1500 (leia mais aqui), a picape média sofreu modificações que incluem a adoção de um novo motor, transmissão e de novos equipamentos tecnológicos.

Diferente da Ranger vendida no Brasil, cuja única opção a gasolina é um 2.5 Flex de 173 cv, sempre combinado a um câmbio manual de cinco marchas, a Ranger dos EUA terá um propulsor 2.3 EcoBoost (o mesmo que no Mustang desenvolve 314 cv), casado a um câmbio automático de dez marchas.

Disponível nas cabines dupla e estendida, a Ranger poderá ser adquirida em três níveis de acabamento (XL, XLT e Lariat). Existe a opção ainda do pacote FX4 Off-Road, que inclui chapa protetora do chassi, suspensão preparada, pneus especiais e seletor de modos de condução preparado para condições fora de estrada. A lista de equipamentos de série e opcionais inclui faróis e lanternas de LED, tomadas para conexão de aparelhos eletrônicos domésticos, sistema de frenagem automática de emergência, monitor de pontos cegos preparado para o reboque de trailers, piloto automático adaptativo e detector de pedestres.

 

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Baleia jubarte quase engole duas mulheres em caiaque; veja o vídeo
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel