Ford usa ventoinha da F-150 em respirador hospitalar

Respirador hospitalar da Ford usa ventoinha da F-150 e máscara dos funileiros da montadora
Respirador hospitalar da Ford usa ventoinha da F-150 e máscara dos funileiros da montadora

A Ford está desenvolvendo um respirador hospitalar que usa uma das ventoinhas da picape F-150. O projeto está sendo criado pela montadora em parceria com a 3M e a GE nos EUA. A iniciativa é parte da estratégia da empresa para ajudar as autoridades na pandemia do coronavírus.

O gerente de comunicação da empresa, Mike Levin, publicou em sua conta pessoal no Twitter fotos do projeto. O desenho foi feito utilizando os equipamentos que os engenheiros da Ford tinham à disposição na linha de montagem da empresa.

O respirador hospitalar da Ford usa, além da a ventoinha instalada no assento da F-150, a bateria de uma das ferramentas manuais da oficina e a máscara de proteção dos especialistas em funilaria da fábrica.

+ Montadoras vão construir respiradores hospitalares
+ Como congelar prestação do carro por 60 dias
+ Avaliação: Fiat Toro manual e flex é porta de entrada para “picaponas”

Ao longo das últimas semanas diversas montadoras ao redor do mundo atenderam apelos das autoridades e passaram a desenvolver projetos de construção de respiradores hospitalares. O equipamento é parte vital do tratamento de pessoas infectadas com o coronavírus, já que um dos principais efeitos da doença é insuficiência respiratória.

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Baleia jubarte quase engole duas mulheres em caiaque; veja o vídeo
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel