Fórmula 1 cancela GP da Rússia devido a Guerra na Ucrânia

Além do cancelamento da prova russa, categoria pode ficar sem piloto e patrocinador do país

0
16
rússia
Haas com o carro branco nesta quinta-feira. Foto: Divulgação

O conflito no leste europeu envolvendo Rússia e Ucrânia já está impactando o esporte. Após reunião entre os chefes da equipe e dirigentes da Fórmula 1 na noite de ontem (24/02) em Barcelona, onde a categoria se encontra para testes de pré-temporada, ficou decidido que o Grande Prêmio da Rússia deste ano não será realizado.

Presente desde 2014 no calendário da Fórmula 1, o Grande Prêmio da Rússia tinha sua edição de 2022 marcada para o dia 25 de setembro e válida pela 17ª etapa do campeonato.

+ Guerra na Ucrânia pode ameaçar GP da Rússia de F1
+ F1: Novo carro da Ferrari traz visual inspirado nos anos 90; assista
+ Mercedes-Benz de uma lenda da F1 será leiloado
+ Rivalidade entre Hamilton e Verstappen era o ingrediente que faltava nas últimas temporadas da F1


“Na quinta-feira à noite, a Fórmula 1, a FIA e as equipes discutiram a posição do nosso esporte, e a conclusão é, incluindo a opinião de todas as partes interessadas, que é impossível realizar o GP da Rússia nas circunstâncias atuais.” disse o comunicado da categoria.

Reflexo na pista

No último dia da sessão de testes que a Fórmula 1 realiza no circuito de Barcelona, a equipe Haas foi para a pista sem o patrocínio da empresa russa UralKali e também sem as cores do país. A Haas é uma equipe norte-americana e tem como um dos pilotos confirmados para 2022 o russo Nikita Mazepin.

Com a invasão da Ucrânia pelo exército russo na madrugada da última quinta-feira, a Haas evitou qualquer declaração sobre o conflito e cancelou a participação do seu chefe de equipe Gunther Steiner e de Mazepin em coletivas marcadas para o dia de ontem. A noite soltou um comunicado informando que iria para a pista com um carro branco e retirou a marca da UralKali também do caminhão da equipe.

Mas não houve nenhum informação sobre a permanência do patrocinador russo na equipe para o resto do ano, assim como a de Nikita Mazepin. Caso ocorra realmente um rompimento que impeça a permanência do piloto no time, o brasileiro Pietro Fittipaldi pode assumir a vaga por ser o piloto reserva da Haas.

Na pista, o que se viu até o momento foi uma mudança das forças da categoria com o novo regulamento que entra em vigor neste ano. A McLaren, com Lando Norris, liderou o primeiro dia de treinos enquanto a Ferrari de Charles Leclerc foi a mais rápida ontem (24/02).

MAIS NA MOTOR SHOW:

+ Avaliação: Renault Kwid 2023 amadurece com design e mecânica reformulados
+ Avaliação: Audi A3 entrega dirigibilidade e consumo irretocáveis
+ Avaliação: Honda City 2022 quer ser novo Civic, mas não é
+ Teste rápido: Caoa Chery 5x estreia nova versão PRO por R$ 154.990
+ Rodízio de veículos em SP está suspenso; veja até quando
+ Novo Tiggo 5x PRO bate recorde em primeiro dia de vendas
+ Seguro de carro: confira o que é considerado desastre natural
+ Comparativo: Jeep Commander vs. Caoa Chery Tiggo 8
+ Qual é a melhor versão do Jeep Compass 2022?
+ BMW iX tem grade que se autorregenera e sistema de áudio 4D; confira outras tecnologias