Fuja do óbvio!

Carro é um assunto que envolve paixão, dinheiro e necessidades. Dependendo do consumidor, a compra de um novo modelo varia – mas sempre há aqueles que se viciam em determinadas marcas, e até modelos, sem levar em consideração outras boas ofertas. Nos últimos anos, o mercado brasileiro tem expandido cada vez mais a variedade de ofertas disponíveis.


No total, são 35 marcas que, ou estão instaladas aqui, ou tem representantes o ciais em nosso mercado. Mas acontece que as grandes – Fiat, VW, GM e Ford – ainda dominam de forma esmagadora as vendas. De acordo com os dados da Fenabrave, no mês de novembro a porcentagem de participação das quatro marcas somadas corresponde a 79,52% do total. Em um país com tantas opções, é um número desleal.

Con ra ao lado algumas boas ofertas que acabam passando despercebidas por muitos consumidores na hora de trocar de carro. Esqueça todos os dogmas e abra seu horizonte para estes veículos, que, dependendo de suas necessidades e exigências, podem ser sua melhor opção de compra.

Kia Magentis 2.0 Automático R$ 69.900

Passe alguns dias dirigindo um Magentis e pergunte às pessoas quanto elas acham que ele custa. Com certeza as respostas trarão valores acima dos R$ 80 mil. Isso porque o carro é grande e imponente. Surpreende qualquer palpiteiro o fato de o “carrão” ter motor 2.0. O Magentis não é um veículo para quem procura bom desempenho e jovialidade, mas sim para os mais exigentes, que desejam conforto e maciez. Bancos de couro, CD com MP3 e controle no volante, ar-condicionado digital e bastante espaço interno garantem uma boa dose de comodidade a bordo do sedã.

Kia Carens EX 2.0 Automática R$ 70.812

Uma boa opção de compra se você precisa de um veículo com sete lugares é a Carens. Diferentemente da Grand Livina, ela tem um pacote mais refinado, com bancos de couro, acabamento bege e motor 2.0 que, aliado ao câmbio automático de quatro marchas, é bastante suave. Com este nível de conforto, ela pode ser comparada com Grand C4 Picasso e até com Dodge Journey – que são veículos mais caros, com preços que chegam perto dos três dígitos.

Kia Opirus V6 3.8 Automático R$ 89.900

Apesar do preço abaixo dos R$ 100 mil, acredite, este coreano briga com Toyota Camry (R$ 149.857), Honda Accord V6 (R$ 120.155) e Passat V6 (R$ 157.341). Com motor 3.8 V6 de 24 válvulas e 267 cv, o Opirus oferece tudo que um verdadeiro três volumes top de linha pode proporcionar a seus usuários. Mas este enorme custo/benefício também tem seu outro lado: o carro está prestes a ser totalmente modificado com a chegada de sua nova geração. Mesmo assim, vale a pena colocar na ponta do lápis o quanto se estará economizando e o quanto ele desvalorizará. Se a intenção for adquirir um carro confortável e completo – sem pretensões de vendas nos próximos cinco anos – o desconhecido Opirus pode sim ser uma boa escolha.

Suzuki Jimny Wide 1.3 4×4 R$ 54.490

Quando se fala em SUV, o modelo que vem à cabeça é o EcoSport. Líder absoluto deste segmento, o utilitário da Ford é um carro aventureiro no visual, mas urbano no desempenho. Mesmo na versão 4×4 não garante tanta valentia. Com a volta do Jimny, o consumidor que busca um jipinho mais em conta e que realmente enfrente qualquer terreno já tem uma boa opção de compra. Com um preço bastante atraente, este pequeno SUV é o carro certo para quem aceita sacrificar o conforto no uso urbano para poder abusar no off-road nas horas vagas.

Renault Mégane Expression 1.6 R$ 51,790

A segunda geração do Mégane reacendeu o interesse do consumidor pelo carro. Com detalhes inovadores como o cartão no lugar da chave de ignição e a alavanca do freio de mão em formato diferente, o sedã francês chamou muito a atenção dos consumidores. Equipado com motor 1.6 em sua configuração mais básica, ele oferece uma lista de equipamentos de série bem atraente, com sistemas ABS e EBV e computador de bordo, mesmo na versão de entrada. Tudo isso por um valor bastante camarada.

Suzuki SX4 2.0 Mec R$ 61.990 Aut R$ 66.790

Depois de ficar fora do mercado nacional por cinco anos, a Suzuki volta a oferecer seus carros para o consumidor brasileiro. O terceiro modelo da marca a chegar ao Brasil é o SX4. Com uma lista de equipamentos bastante convidativa e motor 2.0 de 145 cv, este compacto não tem muitos concorrentes diretos – já que o seu diferencial é o apelo esportivo com direito até a tração integral inteligente com três modos de condução: 2WD (tração dianteira), AWD Auto (distribui a tração de acordo com a situação) e AWD Lock (para pisos mais acidentados).

407 Sedan Allure 2.0 Autom. R$ 82.900

Antes disponível apenas com motor 3.3 V6, o Peugeot 407 Sedan custava mais de R$ 130 mil. Mas, em março último, a marca lançou o 2.0 para que o consumidor que preza o conforto e o estilo elegante do sedã pudesse adquiri-lo por um valor mais baixo. Para se ter uma ideia, o modelo de entrada concorre com Corolla e Civic em suas configurações mais completas. E o 407 Allure oferece ainda muitos equipamentos de série, como oito airbags, ar-condicionado digital automático e regulador de velocidade, entre outros mimos para os ocupantes.

Peugeot 407 SW 2.0 Allure R$ 91.800

O segmento de peruas médias é um dos mais reduzidos do Brasil hoje. São apenas quatro modelos disponíveis, entre eles o 407 SW. Assim como a versão sedã, o SW também ganhou uma configuração mais em conta, com o motor 2.0 no lugar do 3.3 V6. As linhas do modelo são ousadas e marcantes, e o consumidor que optar pela perua da Peugeot terá à sua disposição uma lista de equipamentos bastante atraente, como no três volumes. Porém, a diferença de valor entre ambos – de quase R$ 10 mil – é grande para poucas diferenças. A lista de itens de série da perua tem a mais só o ar digital com duas zonas.

Peugeot 207 X-line 1.4 2p R$ 29.800 4p R$ 31.600

Recém-lançada pela Peugeot, a versão X-line tira de vez o 206 de linha. Mesmo com a lista de equipamentos bastante enxuta, o hatch é um dos poucos modelos que custam menos de R$ 30 mil e não são equipados com motor 1.0. O extinto 206, que foi um dos primeiros carros de entrada a abandonar o motor 1.0, já era uma boa oferta, e, apesar de um pouco mais caro, o 207 promete continuar fazendo este papel.

Bons negócios para quem não se prende às marcas tradicionais: muitos ainda têm medo de arriscar, mas, fazendo as contas, o beneficiado pode ser você

Peugeot 307 Sedan Presence 1.6 R$ 49.900

O segmento de sedãs médios é um dos mais competitivos e movimentados do Brasil. Em 2001, a Peugeot resolveu entrar na disputa com o sedã do 307. Mas o carro não caiu no gosto popular, com vendas bem inferiores às do hatch. Desde então, a marca vem melhorando sua oferta como forma de fisgar o consumidor. Hoje, o 307 Sedan é o mais barato da categoria, mesmo com um nível de equipamentos igual ao de seus rivais.

Subaru Impreza Sedan 2.0 aut. R$ 75.990

A nova geração do Impreza Sedan é tão desconhecida que pode ser que esta seja a primeira vez que você o esteja vendo. Mas não se sinta mal. Afinal, suas vendas justificam o anonimato: foram apenas 73 unidades vendidas em 2009. Por outro lado, é uma excelente opção para quem é fã da marca e precisa de mais espaço. Seu preço é próximo ao dos concorrentes, porém ele é o único que oferece tração integral permanente.

Nissan Grand Livina 1.8 manual R$ 55.990

Lançada em 2009, a minivan da Nissan concorre em duas frentes: uma que briga com Grand C4 Picasso e Zafira – modelos de sete lugares também – e outra que disputa com Xsara Picasso, por ter preço e nível de equipamentos semelhantes. O fato é que a Grand Livina é o modelo de sete lugares mais barato do mercado. Com motor 1.8, tem um bom acabamento e o sistema de chave inteligente que dispensa seu uso para dar partida. Basta estar com ela no bolso para, ao girar o botão de ignição, o motor funcionar.

Subaru Impreza 1.5 manual R$ 55.900

“Subaru é para quem realmente gosta de carro.”. Essa é a teoria usada por muitos para justificar a tímida participação da marca no Brasil. E, realmente, ela tem um fundo de verdade, já que seus veículos são mecanicamente confiáveis. Uma das melhores ofertas da montadora é o Impreza hatch 1.5. O grande diferencial é a tração integral, característica de todos os Subaru. Por outro lado, deixa a desejar por não contar com computador de bordo nem CD de série. Mesmo assim, é uma ótima pedida – se você não é de se preocupar com a hora de vendê-lo. Em tempo: ele também é oferecido com motor 2.0.

Nissan Sentra 2.0 flex manual R$ 55.290

O Sentra sempre ofereceu uma excelente relação custo/ benefício, com muitos equipamentos e um preço abaixo do da concorrência – mas até então não era equipado com a tecnologia bicombustível. Porém, no final do ano passado, a marca apresentou o Sentra 2010 com algumas atualizações visuais, mais equipamentos de série e o tão aguardado motor flex. E não foi só isso: seu preço também ficou, em média, R$ 1.100 mais barato do que o antecessor. Para se ter ideia, a diferença de valor entre o sedã japonês e os líderes de seu segmento (Corolla e Civic) gira em torno dos R$ 10 mil.

Nissan Livina 1.6 R$ 43.990

O Livina chegou no ano passado e já desponta como um dos melhores monovolumes comercializados no Brasil. Uma boa alternativa a Fit, Meriva e Idea, ele tem como principal qualidade o preço: R$ 43.990. Assim como seus rivais, na versão de entrada não oferece muitos mimos além do ar-condicionado e da direção hidráulica, mas tem bom desempenho com seu motor 1.6. Aliás, é mais potente que Fit, Idea e Meriva, que, em suas versões de entrada, são equipados com motor 1.4.

 

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Baleia jubarte quase engole duas mulheres em caiaque; veja o vídeo
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel

COMPARTILHAR
Notícia anteriorMercado
Próxima notíciaProblemas no Fox