Grande e sofisticado

O Citroën C4 Pallas chegou em 2007 com motor a gasolina, quando muitos concorrentes já eram flex, mas oferecia atrativos a mais que seus rivais – pelo mesmo preço. Os mais inusitados eram o sistema para perfumar a cabine junto ao ar-condicionado, o volante com miolo fixo e o gancho para pendurar a bolsa, ao lado do porta-luvas.

O Pallas tinha como objetivo conquistar os consumidores fiéis de Civic e Corolla, líderes do segmento com folga (até hoje). Para isso, a marca francesa apostou no seu já tradicional requinte. De fato, luxo não falta neste sedã médio (quase grande) com bom custo/benefício – melhor ainda no caso do usado, dada sua grande desvalorização inicial. O modelo Exclusive 2008 automático sai por R$ 47.980 (Fipe/MOTOR SHOW).

Nesta versão top, ele ainda tem sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, de luminosidade e de chuva, bancos de couro, retrovisor interno eletrocrômico, retrovisores externos rebatíveis eletricamente, ar-condicionado digital bizone, faróis de neblina, escapamento cromado e revestimento da alavanca do câmbio e do volante em couro.

Apesar da boa distância entre-eixos e do generoso porta-malas (580 litros), a cabine é estreita, acomodando quatro pessoas com conforto (a quinto nem tanto). Maria Laura Gastim, proprietária, reclama do portamalas muito fundo – que dificulta a retirada de objetos – mas revela que “o espaço interno, aliado ao design e ao excelente acabamento, foi o que me conquistou.”

Entretanto, todo este conforto tem seu preço, e o consumo é alto, principalmente nesta versão só a gasolina, segundo o proprietário João Carlos Gouveia: “Como seu câmbio é muito curto, o consumo na estrada fica prejudicado, não passando de 9 km/l.” Já sua dirigibilidade agrada. Lucas Bueno diz que comprou o carro após o test-drive, quando considerou a posição de dirigir do C4 Pallas a melhor entre seus concorrentes. Os mecânicos que consultamos elogiam a mecânica do carro. “É raro este modelo chegar na o cina – ele não costuma ter problemas”, afirmou o mecânico Claudio da Silva Araújo, da oficina Speed Car. Ele aconselhou, contudo, levar o carro a um mecânico de con ança para checar suspensão, freio e câmbio – como se deve fazer com qualquer veículo comprado usado.

Pelo mesmo preço

207 Passion XS 1.6 Aut. 0km R$ 48.748

É zero-quilômetro e tem motor flex, mas o espaço interno é menor e seu motor, bem menos potente.

Honda Fit LX 1.4 2010 R$ 48.110

Tem menos espaço e potência, mas é muito econômico e, se não prima pela sofisticação, ganha na confiabilidade.

Hora da compra

Confira as revisões e aproveite a garantia

Como a garantia de fábrica é de três anos, dependendo do ano e do mês em que o carro foi comprado, ela ainda pode estar valendo. Confira o livreto de manutenção que acompanha o manual (ou encartado no próprio manual) para verificar se o antigo proprietário fez todas as revisões obrigatórias. Caso positivo, você ainda pode ter algum tempo de cobertura da garantia. Verifique também, pelo número do chassi, se o veículo foi chamado – e compareceu – para recalls. Caso não tenha comparecido, você tem o direito de levá-lo à concessionária mais próxima e exigir o reparo.

GOSTO…

“O espaço interno, aliado ao design moderno e ao excelente acabamento, foi o que me conquistou” Maria Laura Gastim, proprietária

NÃO GOSTO…

“Como seu câmbio é muito curto, o consumo na estrada ca prejudicado, não passando dos 9 km/l” José Carlos Gouveia, proprietário

MERCADO

Sua desvalorização em um ano foi de 14,7%. Alta, se comparada com seus principais concorrentes Toyota Corolla (12,4%) e Honda Civic (5,42%)

Veja também

+ A biblioteca básica do motociclista cool

+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas

+ Homem compra Lamborghini após fraude em auxílio emergencial

+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar



COMPARTILHAR
Notícia anteriorTecnologia das pistas para a rua
Próxima notíciaContato