Guia de Carros Elétricos: Nissan Leaf, Volvo XC40, C40, Porsche Taycan e Audi e-tron

Confira um guia com alguns dos carros elétricos mais vendidos do Brasil em 2021, parte da edição especial da MOTOR SHOW que já está nas bancas

Aqui você confere algumas das opções entre os carros elétricos mais vendidos do Brasil. Essa seleção faz parte da edição especial de elétricos e híbridos da MOTOR SHOW que está nas bancas — saiba mais aqui e confira mais reportagens da edição clicando aqui.

Nissan Leaf – R$ 293.707

Lançado em 2010, o Nissan Leaf chegou ao Brasil em 2019, na segunda geração e já foi eleito Compra do Ano 2020 na categoria. No ano passado, foi o carro elétrico mais vendido no país, com 439 unidades (contra 105 em 2020, quando o Audi e-tron liderou com 183 vendas).

De fora, o Leaf não chama muita atenção nas ruas. Ao entrar na cabine, apesar de estar em um carro “do futuro”, você procura o freio de mão e não acha… Nada de sistema eletrônico – ele é por pedal, acredite.

Além disso, não há ajuste de profundidade do volante e o acabamento é simples, embora haja itens como banco com ajuste elétrico, monitor de ponto cego, ACC, alerta de mudança de faixa e câmera 360o.

Mesmo sendo um hatch médio, ele é muito espaçoso – tanto o comprimento da carroceria quanto o espaço no interior da cabine lembram mais um sedã. Uma grande vantagem está no porta-malas de ótimos 435 litros, a mesma capacidade que tem um Nissan Kicks – e mais do que têm os hatches do comparativo desta edição.

Ao volante no Leaf, como na maioria dos carros elétricos, a agilidade impressiona, mesmo com “só” 149 cv – o que vale mais é o torque de 320 Nm. É um conjunto suficiente para acelerar de 0-100 km/h em 7,9 segundos, com retomadas e acelerações também empolgantes: mesmo a 50 km/h, se você pisar fundo, ele destraciona as rodas dianteiras.

Durante nossos testes práticos, a melhor média de consumo, dentro da cidade e com trânsito livre, ficou em 8 km/kWh. Muito boa. Foi atingida no modo Eco com o sistema “E-Pedal” ativo, que deixa mais claro que o Leaf é elétrico, pois aumenta o “freio motor” – na verdade, a recuperação de energia pelo motor-gerador elétrico: o Leaf fica “amarradinho” para ser guiado com um pedal só, como já é tradição nos elétricos (reduz em até 80% o uso dos freios).

Há, ainda, o modo B do câmbio, mais recomendado em descidas ou reduzidas. A autonomia oficial é de 320 quilômetros, menor que a do Renault Zoe, mas dentro da média do mercado nesta faixa de preços.

O powertrain do Leaf mostra a base dos elétricos: conjunto de células da bateria debaixo do assoalho, ligado por um cabo de alta tensão ao motor-gerador elétrico. Alguns modelos tem um motor por eixo

Para descobrir a melhor combinação entre Eco, B e E-pedal leva-se um tempo. Qualquer que seja, frenagens súbitas dão sustos, pois a transição da recuperação de energia para a frenagem de verdade não é sempre clara ou imediata. O Leaf é principalmente urbano, mas chega a 144 km/h e pode encarar uma estrada. A 100 km/h, porém, não faz muito mais do que 6,5 km/kWh.

Apesar de supostamente estar próximo do fim de sua vida – informações não oficiais falam em uma transformação dessa segunda geração, que já tem cinco anos de vida, em um crossover-SUV–, olhando para o mercado o Leaf ainda tem uma boa relação custo-benefício, mesmo com alguns defeitos.

Motor: elétrico com ímãs permanentes (síncrono), dianteiro
Potência: 149 cv
Torque: 320 Nm
Dimensões: 4,480 m (c), 1,790 m (l), 1,565 m (a)
Entre-eixos: 2,700 m
Porta-malas: 435 litros
Bateria: 40 kWh
0-100 km/h: 7s9
Velocidade máxima: 144 km/h
Consumo cidade*: 8 km/kWh
Consumo estrada*: 6,5 km/kWh
Autonomia oficial: 320 km *teste MOTOR SHOW


VOLVO XC40: R$ 409.950

carros elétricos

Depois de liderar as vendas de carros híbridos plugáveis no Brasil em 2020, com expressivas 1.834 unidades emplacadas, o Volvo XC40 passou a ser vendido aqui apenas na versão 100% elétrica, batizada de Recharge Pure Electric. Leia aqui a nossa avaliação completa.

Além de representar a migração da marca, fortíssima em híbridos plug-in, para o “estágio seguinte” da evolução da eletrificação, o dos carros elétricos, o XC40 adotou o Android Automotive, ou Google Integrado, que incorpora melhor mapas e outros serviços, como assistente de voz, ao carro (mostra inclusive, com quanta carga você deve chegar ao destino, com base em informações do mapa). Para completar, o XC40 cedeu sua plataforma e abriu alas para o C40, primeiro Volvo que já nasceu puramente elétrico.

Nos Volvo elétricos, a estratégia é usar um motor por eixo: além de garantir mais potência, o carro vira 4×4 e a distribuição de peso é ainda melhor

Com dois motores elétricos, o SUV de luxo fez a marca sueca outra vez sair à frente de suas grandes rivais alemãs, Mercedes, Audi e BMW – as duas primeiras já tinham SUVs elétricos, porém de uma categoria maior, e a terceira está estreando no segmento de SUVs elétricos só agora, com o também maior iX, avaliado nesta edição. Muito silencioso, o XC40 elétrico tem 408 cv e 660 Nm, entregando um desempenho digno de carro esportivo, com 0-100 km/h em menos de cinco segundos.

carros elétricos

Motores: elétrico com ímãs permanentes (síncrono), um dianteiro e um traseiro
Potência: 408 cv
Torque: 660 Nm
Dimensões: 4,425 m (c), 1,863 m (l), 1,647 m (a)
Entre-eixos: 2,702 m
Porta-malas: 414 litros
Bateria: 78 kWh
0-100 km/h: 4s9
Vel. máxima: 180 km/h
Consumo cidade*: 4,5 km/kWh
Consumo estrada*: 4 km/kWh
Autonomia oficial: 418 km *teste MOTOR SHOW

VOLVO C40 – R$ 419.950

carros elétricos

Por R$ 10 mil a mais que o XC40, a versão cupê/crossover oferece a mesma mecânica e dirigibilidade, mas com um estilo mais na moda e um desempenho um pouco mais afiado (0-100 km/h em 4s7). Confira o teste completo dele clicando aqui


PORSCHE TAYCAN TURBO S: R$ 615.000

carros elétricos

O Taycan inicialmente seria o “911 elétrico”, mas acabou maior, com quase 5 metros de comprimento, quatro portas e quatro lugares. O valor listado acima é da versão com um motor, até 408 cv e 345 Nm e bateria de 79,2 kWh, com 0-100 km/h em 5s4 e até 450 quilômetros de autonomia.

Já a versão Turbo S, parte de R$ 1.079.000 e tem um motor em cada eixo, com 761 cv, 1049 Nm e bateria de 93,4 kWh, com 0-100 em 2,8 segundos e alcance similar. Confira a avaliação completa, com teste em pista, da versão topo de linha clicando aqui. 

Em uma configuração incomum, seu motor traseiro é acoplado a uma transmissão de duas velocidades. Embora tenha preços muito altos, o Taycan foi o segundo elétrico mais vendido do Brasil em 2021, com 279 unidades emplacadas – o que explicita bem como carros elétricos ainda são apenas para a elite. Quem diria que um carro a bateria seria tão bem aceito pelo “porscheiros”, normalmente tão puristas?

Motores: elétricos, ímãs permanentes, um dianteiro e um traseiro
Potência: até 731 cv
Torque: até 1.049 Nm
Dimensões: 4,963 m (c), 1,966 m (l), 1,378 m (a)
Entre-eixos: 2,900 m
Porta-malas: 366+81 litros
Bateria: 93,4 kWh
0-100 km/h: 2s8
Vel. máxima: 260 km/h
Consumo cidade: 3,6 km/kWh*
Consumo estrada: 3,4 km/kWh*
Autonomia oficial: 390 a 477 km

*Quattroruote


Audi e-tron Sportback: R$ 609.990

carros elétricos

O e-tron já chegou a liderar as vendas de elétricos no Brasil, mas sua vida ficou bem mais difícil com o aumento da concorrência – como o Porsche Taycan acima, cuja versão básica tem porte e potência similares (mas o Audi tem mais torque, pois traz um motor a mais na dianteira).

A versão da foto é a Sportback (leia a avaliação completa aqui), que mostra uma carroceria de SUV-cupê e tem preço a partir de R$ 639.990. Ainda há o S, com três motores, 503 cv e 973 Nm, e o excepcional cupê Audi RS e-tron GT (clique aqui para ler a avaliação completa).

Os destaques do e-tron são o espaço interno excepcional em todas as versões e o comportamento exemplar das suspensões com molas pneumáticas – além de controlar bem o carro nas curvas, fazem com que não pareça ser tão pesado.

Outro item do e-tron que chama a atenção são os retrovisores externos, opcionalmente trocados por câmeras. Embora não sejam exatamente melhores, dão um toque futurista.

Motores: elétricos, ímãs permanentes, um dianteiro e um traseiro
Potência: até 408 cv
Torque: até 664 Nm
Dimensões: 4,901 m (c), 1,935 m (l), 1,616 m (a)
Entre-eixos: 2,928 m
Porta-malas: 555+60 litros
Bateria: 95 kWh
0-100 km/h: 5s7
Vel. máxima: 200 km/h
Consumo cidade*: 6 km/kWh
Consumo estrada*: 4,5 km/kWh
Autonomia oficial: 446 km *teste MOTOR SHOW

LEIA MAIS SOBRE CARROS ELÉTRICOS E HÍBRIDOS:

+Avaliação: mais cupê do que SUV, elétrico Volvo C40 exagera na potência para marcar território
+Avaliação: uma semana de Renault Zoe – carro elétrico vale a pena?
+Seguro para automóveis híbridos e elétricos; confira como funciona
+Avaliação: Volvo XC40 vira SUV elétrico com bom custo-benefício e pegada de esportivo
+Avaliação: Audi RS e-tron GT pode soar falso, mas é ridiculamente rápido
+Primeiro elétrico da Fiat, 500e chega ao Brasil por R$ 239.990
+
Diesel, híbrido, plug-in ou elétrico; qual é o melhor para você?
+Carro elétrico traz vantagens, mas não é solução mágica
+Avaliação: Hyundai Ioniq 5, um elétrico incrível, é verdadeira revolução coreana
+Teste de consumo: Corolla Cross Hybrid vs. Corolla Cross 2.0
+Audi e-tron vs. Jaguar I-Pace: os SUVs elétricos que adiantam o futuro
+Carros elétricos mais vendidos do Brasil em 2020: confira o ranking
+Avaliação: Mercedes-Benz EQA, o GLA elétrico que chega ao Brasil em breve
+Avaliação: Volkswagen ID.4 é o Taos do futuro (e já chegou)