GWM apresenta sistema híbrido no Brasil com 200 km de autonomia EV

A chamada Dedicated Hybrid Technology (DHT) está presente na plataforma de veículos eletrificados de passeio da GWM, a LMN

0
8
Foto: Divulgação

Nesta terça-feira (21), a Great Wall Motors apresentou sua tecnologia híbrida que vai incorporar os seus veículos no Brasil, como o Haval H6.

Lançada em 2020, a chamada Dedicated Hybrid Technology (DHT) está presente na plataforma de veículos eletrificados de passeio da GWM, a LMN.

A tecnologia consiste em um motor 1.5 turbo, uma dupla motorização elétrica (chamada de Dual Motor) e um par de engrenagens fixas que conectam o motor a combustão às rodas.


O Dual Motor tem três funções nesse sistema: transmitir o movimento diretamente para as rodas, recarregar a bateria do conjunto híbrido e, em condições de alta demanda de torque, auxiliar o motor a combustão gerando torque adicional.

A DHT oferece até 200 km de autonomia apenas no modo elétrico. Além disso, ela também conta com o modo de energia regenerativa.

O sistema oferece até 483 cv de potência e 762 Nm torque, com acelerações de 0 a 100 km/h em até 4,8 s. No modo EV, ele possibilita atingir velocidade máxima de 140 km/h.

Foto: Divulgação

+ Great Wall confirma lançamento do SUV híbrido Haval H6 no Brasil
+ Chinesa Great Wall terá rede com 100 pontos de recarga elétrica no Brasil
+ Great Wall fechou compra da fábrica da Mercedes-Benz em Iracemápolis, aponta jornal

Versões do DHT GWM

O sistema DHT GWM permite a oferta de três versões de modelos híbridos: híbridos convencionais (HEV), híbridos plug-in (PHEV) e híbridos plug-in com um motor elétrico extra no eixo traseiro (PHEV P4).

O HEV utiliza o powertrain 1.5T+DHT130, composto pelo motor a combustão 1.5 turbo e um Dual Motor que geram para o eixo dianteiro entre 243 cv e 393 cv (179-289 kW) de potência e de 530 a 570 Nm de torque, com aceleração de 0 a 100 km/h entre 8,0 a 6,5 s.

O PHEV é equipado com essa mesma configuração técnica, mas adiciona uma bateria maior, que possibilita uma autonomia elétrica de até 200 km.

Já o PHEV P4 usa um powertrain 1.5T+DHT130+P4, o que acrescenta um motor elétrico extra no eixo traseiro, resultando em uma potência máxima entre 393 cv e 483 cv (289-355 kW), torque de 762 Nm e aceleração de 0 a 100 km/h entre 5,0 a 4,8 s, com até 180 km de autonomia elétrica. 

Por ter um motor extra, o PHEV P4 proporciona ainda o recurso AWD All-Terrain, um sistema de tração permanente nas quatro rodas que conta com divisão inteligente de torque entre os eixos. 

Teste

Atualmente, os powertrains do sistema DHT GWM já estão sendo testados no Brasil para que possam se adequar às condições de rodagem do território brasileiro, diz a GWM. 

Foto: Divulgação

MAIS NA MOTOR SHOW:

+ Licenciamento: veja o calendário completo e como pagar em SP
+ Novo Fusca mescla linhas do passado e itens futuro por R$ 3 milhões
+ Teste rápido: ao volante do Macan 2023, o Porsche mais barato no Brasil
+ Carro por assinatura vale a pena? Confira um guia completo com preços, vantagens e desvantagens
+ Avaliação: Toyota Corolla Cross híbrido põe o consumo acima de tudo; vale a pena?
+ Teste de consumo: Corolla Cross Hybrid vs. Corolla Cross 2.0
+ CNH: junho é o último mês para grupo renovar a habilitação; veja
+ Qual é a melhor versão do Jeep Compass 2022?
+ Veja quais são os carros flex mais econômicos, segundo o Inmetro
+ BMW Série 5 recebe acabamento luxuoso em nova versão no Brasil
+ Comparativo de Carros Elétricos: Peugeot e-208 GT vs. Mini Cooper SE vs. Fiat 500e vs. Renault Zoe
+ Carro ‘mais rápido do mundo’ bate recorde e beira os 500 km/h; assista