Honda Civic estreia com novo visual nos EUA

Retoques na carroceria vieram acompanhados de novos equipamentos e do lançamento da versão Sport

Divulgação

Sem novidades na mecânicas, a linha 2019 do Honda Civic vendido nos Estados Unidos estreia trazendo mudanças no visual externo e novos equipamentos de série, além da nova versão Sport, disponível nas carrocerias sedã e cupê.


Os para-choques tiveram o visual repaginado, com retoques na parte inferior do dianteiro e a colocação de um aplique cromado no traseiro. Já a grade dianteira passa a ser pintada em preto brilhante e, na versão de topo Touring, o médio ganhou faróis de LED com novo arranjo de luzes e novas rodas de 18″.

No interior, a grande novidade do Civic 2019 vendido nos EUA é o pacote de segurança Honda Sensing (com piloto automático adaptativo, assistente de manutenção em faixa, frenagem automática de emergência e assistente de farol alto), que passa a ser de série em todas as versões. Outras mudanças são o novo sistema de som (com botão giratório para o volume e teclas físicas) e um novo suporte para copos no console central.

Já a nova versão Sport combina o motor 2.0 e o câmbio manual de seis marchas (automático CVT opcional) das versões mais baratas à suspensão e escape esportivos, além do visual exclusivo com acabamento em preto brilhante, costuras em vermelho no interior e rodas de 18″.

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Baleia jubarte quase engole duas mulheres em caiaque; veja o vídeo
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel