Honda HR-V também tem uma versão Touring

Por R$ 5.000 a mais que o HR-V EXL, o HR-V Touring estreou este ano com mais equipamentos que a antiga versão topo de linha. O carro avança bem além da casa dos R$ 100 mil por conta de alguns mimos: novos faróis com luzes diurnas (DRL), lanternas em LED, sensor de estacionamento traseiro, sensor de chuva e sensor crepuscular. Os demais equipamentos importantes já estavam disponíveis no HR-V EXL, como freio de mão eletrônico, ar-condicionado digital touchscreen, borboletas para troca de marchas e central multimídia com tela tátil de 7”. O carro é muito bom, mas não espere um superdesempenho como o proporcionado pelo motor 1.5 Turbo de 173 cv que equipa Civic Touring. No HR-V, a versão Touring manteve o motor 1.8 flex aspirado de 140 cv. São 33 cv de diferença e uma discreta nota C de consumo. Mas o HR-V tem outras coisas boas. Uma delas é o câmbio CVT.

Seu design esportivo continua agradando e traz soluções muito legais, como as maçanetas das portas traseiras escondidas, dando a impressão de que o carro é um cupê de duas portas. Apesar de não ser um foguete, em termos de desempenho o 4 cilindros aspirado mantêm o HR-V num padrão elevado. Sua dirigibilidade é muito agradável e as borboletas no volante permitem uma tocada esportiva, mesmo com o câmbio CVT, pois o sistema traz sete marchas simuladas.

Um dos itens que diferenciam o Honda HR-V é a sua estabilidade. O carro é muito bom de guiar, graças ao ótimo ajuste de suspensão e ao design da carroceria, em relação a alguns SUVs quadradões. Nas curvas, a inclinação não assusta. Ele arranca bem nas saídas de semáforo e permite ultrapassagens mais seguras na estrada – por isso agrada tanto.

Outro item importantíssimo a seu favor é o mercado. O Honda HR-V disputa com o Jeep Compass o título de SUV/crossover mais vendido do Brasil. Sucesso de venda, o HR-V tornou-se referência e desejo de consumo. Se as versões EXL e Touring passam dos R$ 100 mil, a mais barata (LX) peca por ter só câmbio manual. Por isso, com transmissão automática, as versões com melhor relação custo/benefício são a LX CVT e a EX. Tudo vai depender dos equipamentos que deseja, pois mecanicamente os carros são iguais.


Ficha técnica:

Honda HR-V Touring 1.8 CVT

Preço versão LX Manual: R$ 80.900
Preço versão LX CVT: R$ 87.900
Preço versão EX CVT: R$ 94.600
Preço versão EXL CVT: R$ 102.900
Preço versão Touring CVT: R$ 107.900
Motor: 4 cilindros em linha 1.8, 16V, comando variável
Cilindrada: 1799 cm3
Combustível: flex
Potência: 140 cv a 6.500 rpm (g) e 139 cv a 6.300 rpm (e)
Torque: 17,3 kgfm a 4.800 rpm (g) e 17,4 kgfm a 5.000 rpm (e)
Câmbio: automático CVT, sete marchas simuladas
Direção: elétrica
Suspensões: MacPherson (d) e eixo de torção (t)
Freios: disco ventilado (d) e disco sólido (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 4,294 m (c), 1,772 m (l), 1,586 m (a)
Entre-eixos: 2,610 m
Pneus: 215/55 R17
Porta-malas: 437 litros
Tanque: 51litros
Peso: 1.279 kg
0-100 km/h: 11s5 (g) e 10s8 (e)*
Velocidade máxima: 185 km/h (g)*
Consumo cidade: 10,5 km/l (g) e 7,1 km/l (e)
Consumo estrada: 12,1 km/l (g) e 8,5 km/l (g)
Emissão de CO2: 120 g/km
Nota do Inmetro: C
Classificação na categoria: A (Utilitário Esportivo Compacto)

*Medição MOTOR SHOW

NOSSO VEREDICTO
Motor
Câmbio
Desempenho
Consumo
Segurança
Equipamentos
Multimídia
Conforto
Porta-malas
Prazer ao dirigir
COMPARTILHAR
Notícia anteriorToyota SW4
Próxima notíciaUm novo rumo