Hyundai ix35, um sucesso que não conhece crise, ganha novas versões

0
27048

O Hyundai ix35 é um dos poucos carros feitos no Brasil que conseguiram crescer neste ano de crise. Fabricado em Anápolis (GO) pela Hyundai Caoa, o ix35 teve um aumento de 14,6% em suas vendas de janeiro a julho (foram 9.823 emplacamentos em 2015, contra 8.572 no ano passado). Com isso, ele conseguiu manter a quinta posição entre os crossovers. Foi ultrapassado por duas novidades (Honda HR-V e Jeep Renegade), mas roubou posições do Chevrolet Tracker e do próprio Hyundai Tucson.

Agora o ix35 ganha sua primeira reestilização, passa a ser chamado comercialmente pela Hyundai Caoa de “New ix35” e ganha duas novas versões. A versão de entrada, de R$ 99.990, foi mantida. A ela se somaram uma intermediária de R$ 109.990 e uma topo de linha de R$ 122.990. Os nomes oficiais das três versões ainda não estavam definidos quando concluímos esta edição. Mas a da série especial na cor laranja (exclusiva de lançamento) sim: é a Launching Edition, que terá 176 unidades da versão intermediária e 124 da topo.


Avaliamos essa última, que vem com bancos, volante e manopla do câmbio em couro, maçanetas cromadas, protetor externo para as bases das portas, controle de tração/estabilidade, ar-condicionado de duas zonas, regulagem elétrica do banco do motorista com ajuste lombar, airbags laterais e de cortina, lanternas traseiras em LED e teto solar panorâmico duplo. Um carro bastante completo. Mecanicamente as modificações foram pequenas, pois o ix35 já agradava. O motor passou por um remapeamento eletrônico e o catalisador é maior.

O número de emissões melhorou e o carro conseguiu nota A de consumo em sua categoria (na classificação geral do Inmetro, sua nota é C). Visualmente, o ix35 traz boas novidades nas três versões. Entre os desenhos adotados nos Estados Unidos e na Coreia do Sul, a Hyundai Caoa optou pelo padrão coreano – assim, a nova frente do ix35 lembra a do Santa Fe.
A grade cresceu, é marcada por um contorno hexagonal e tem três filetes foscos cobrindo parcialmente a colmeia. Os farois de milha foram redesenhados com molduras similares às da grade frontal.

Os faróis principais ganharam bordas e as lanternas agora têm uma fita em LED. Na traseira, as luzes de LED estão disponíveis só na versão topo de linha. Um spoiler dianteiro e novas rodas de liga leve (aro 18) completam o visual. O Hyundai ix35 é um carro bom de guiar. O motorista fica em uma posição alta e confortável. Vendido exclusivamente com tração dianteira, esse crossover tem proposta urbana (por causa disso, os pneus de perfil baixo sofrem em ruas esburacadas).

Dois itens agradáveis são o sistema multimídia com tela de 7 polegadas sensível ao toque, contendo navegador e conexão bluetooth, entre outros, e o botão start-stop (que permite deixar a chave no bolso). A interface é simples, mas a qualidade do som decepciona para um carro que custa quase R$ 123.000. Com essas modificações, a Hyundai Caoa espera aumentar as vendas mensais do ix35 de 1.600 para 2.000 carros. Devido a uma questão cambial, as primeiras 4.500 unidades terão airbags laterais e de cortina também na versão intermediária sem custo extra. Vale a pena correr a uma das 124 concessionárias Hyundai com pórtico prata.

—–

Ficha técnica:

Hyundai ix35 2.0 Flex Launching Edition

Preço básico: R$ 122.990
Motor: 4 cilindros em linha, 16V, DOHC
Cilindrada: 1999 cm3
Combustível: flex
Potência: 157 cv a 6.200 rpm (g) e 167 cv a 6.200 rpm (e)
Torque: 19,2 kgfm a 4.700 rpm (g) e 20,6 kgfm a 4.700 rpm (e)
Câmbio: automático, seis marchas
Tração: dianteira
Direção: elétrica
Dimensões: 4,410 m (c), 1,820 m (l), 1,655 m (a)
Entre-eixos: 2,640 m
Pneus: 225/55 R18
Porta-malas: 590 litros (1.435 litros com os bancos rebatidos)
Tanque: 58 litros
Peso: 1.500 kg
0-100 km/h: 10s4 (Automobil Revue)
Vel. máxima: 196 km/h (Automobil Revue)
Consumo cidade: 8,8 km/l (g) e 6,1 km/l (e)
Consumo estrada: 10,5 km/l (g) e 7,3 km/l (e)
Emissão de CO2: 112 g/km
Nota do Inmetro: C
Classificação na categoria: A (Utilitário Esportivo Grande)