Indústria automotiva para hoje; veja quem fecha

Indústria automotiva para a partir de hoje para conter o coronavírus
Indústria automotiva para a partir de hoje para conter o coronavírus

A indústria automotiva brasileira para quase que totalmente a partir de hoje, segunda-feira (23). Praticamente todas as montadoras entraram em acordo de férias coletivas ou adotaram outras medidas para preservar funcionários e tentar conter o avanço da pandemia do coronavírus. Listamos abaixo cada uma das montadoras e quando devem retormar a produção.

+ + Coronavírus: Uber suspende corridas compartilhadas
Coronavírus: Ford pode construir respirador hospitalar
+ Por coronavírus, prefeitura suspende rodízio em SP

Volkswagen
A suspensão das linhas de montagem da Volkswagen deve durar pelo menos três semanas. Até o dia 30 de março de 2020, os empregados da área administrativa da montadora alemã continuam em trabalho remoto e os empregados da linha de produção em folgas administradas por banco de horas. A partir de 31 de março de 2020, os empregados da VW estarão em férias coletivas por duas semanas. Ambas as medidas são parte das ferramentas de flexibilização previstas em Acordo Coletivo de Trabalho.

Ford
A Ford suspendeu temporariamente a produção em suas fábricas no Brasil em Camaçari (BA), Taubaté (SP) e na unidade da Troller em Horizonte (CE) e na fábrica de Pacheco, na Argentina. A medida entra em vigor no Brasil na segunda-feira e na Argentina na quarta. A suspensão da produção nas unidades da Ford deve durar até 13 de abril. Na Argentina, a produção na unidade de Pacheco será paralisada pelo menos até o dia 6 de abril.

Fiat
A Fiat Chrysler Automóveis (FCA) iniciou na semana passada a diminuição gradual da produção de sua indústria no Brasil, em Betim (MG), Goiana (PE) e Campo Largo (PR). A paralisação total é prevista para ocorrer até 27 de março. As atividades fabris serão retomadas em 21 de abril. A montadora anunciou também que todos os lançamentos previstos para os próximos meses foram adiados. É o caso da picape Strada que deveria ser apresentada esse mês.

Renault
A Renault antecipou para hoje a suspensão na produção do Complexo Ayrton Senna, em São José dos Pinhais (PR). Inicialmente a parada da indústria estava prevista para o dia 25 de março. A paralisação vai até 14 de abril. As medidas são parte das ferramentas de flexibilização previstas em Acordo Coletivo de Trabalho.

Honda
A Honda para a partir da próxima quarta-feira, 25 de março, as atividades produtivas em Sumaré e Itirapina (SP). A empresa irá suspender a produção por 20 dias, com retorno previsto para 14 de abril, podendo ser postergado para 27 de abril. A retomada da produção dependerá das orientações dos governos federal e estadual, das condições de segurança dos colaboradores e dos impactos da pandemia no mercado de automóveis.

BMW
A BMW Group Brasil suspenderá temporariamente a produção naa planta de Araquari (SC) a partir do dia 30 de março. O retorno das atividades é previsto para 22 de abril. A fábrtica de Manaus (AM) que cuida da produção das motocicletas da marca ainda não tem definido se irá parar também.

Peugeot
A Peugeot América Latina decidiu interromper a produção em sua indústria de Porto Real (RJ) a partir de hoje, até 21 de abril de 2020. A produção será então reiniciada dependendo da futura situação no País.

Jaguar Land Rover
A Jaguar Land Rover suspenderá temporariamente a produção de veículos em sua fábrica localizada em Itatiaia (RJ) a partir de 25 de março, com retorno programado para 27 de abril.

Toyota
A Toyota do Brasil informa que suspenderá a produção de suas quatro plantas industriais no País a partir de amanhã, 24 de março, com retorno previsto para 6 de abril. A paralisação atinge as unidades de São Bernardo do Campo, Sorocaba, Indaiatuba e Porto Feliz, todas no Estado de São Paulo.

Pirelli
A Pirelli anunciou a parada temporária das fábricas da Argentina a partir de sexta passada e das três unidades produtivas do Brasil a partir de hoje. O fornecimento aos clientes, no entanto, continuará com a utilização do estoque disponível. A empresa não estipulou data para retormar a produção.