Inspirado no Velar

O mais influente dos SUVs compactos de luxo se renova por dentro e por fora (Ilustração: Marcelo Poblete (Quattroruote) )

(Nota da Redação: Reportagem publicada originalmente na edição de fevereiro da Motor Show, antes do início do Salão de Genebra)

Com seu design ousado, o compacto Range Rover Evoque foi um sucesso absoluto no Brasil e no mundo imediatamente após o lançamento, e continua sendo muito bem procurado. Mas, com sete anos de vida, chega a hora de mudar de geração. Embora mantenha seu perfil de design inconfundível, a segunda geração será inspirada no novíssimo Velar (leia aqui), tanto externamente quanto – e principalmente – no interior sofisticado.

1 – MAIS ESPAÇO E TECNOLOGIA
Se o Evoque atual leva com um pouco de aperto os passageiros no banco traseiro, o novo será mais espaçoso, pois terá a plataforma com entre-eixos alongado já adotada no Jaguar E-Pace.

2 – MECÂNICA CONHECIDA
Como na primeira geração, o segundo Evoque terá opção de tração dianteira (não no Brasil, ao menos a princípio) e duas ou quatro portas (também não no Brasil), além da inusitada e espalhafatosa versão Cabrio. Motores e câmbio não mudam – o Ingenium 2.0 a gasolina, de iguais 240 cv porém mais econômico, chegou agora à linha 2018 do Evoque.

3 – DESTINO: ITATIAIA
A nova geração do SUV deve ser apresentada no segundo semestre, provavelmente no Salão de Paris, para chegar às concessionárias europeias no terceiro trimestre deste ano e iniciar a produção no Brasil ainda em 2019.

4 – INTERIOR TECNOLÓGICO
O sistema de duas telas sensíveis ao toque do Velar deve ser adotado nas versões mais caras do Evoque. E ele enfim terá Android Auto e Apple CarPlay.

5 – TOQUE DE VELAR
“Mini-Velar”? Pode até ser visto assim, mas na verdade o Velar é que é de fato um Evoque evoluído e crescido. Foi justamente o sucesso do Evoque que animou a marca a fazer o irmão maior.

Pace, o crossover elétrico da Jaguar

A eletrificação do grupo Jaguar Land Rover vai começar por um crossover esportivo da Jaguar, o já confirmado i-Pace (leia mais aqui). Com motores elétricos nos dois eixos garantindo tração integral, o modelo promete 400 cv de potência e 500 km de autonomia – e terá, inclusive, uma versão de corrida. Apesar de medir 4,7 metros, seu entre-eixos deve beirar 3 metros, garantindo amplo espaço. A marca deve vencer a “corrida” com a Audi e mostrar seu SUV elétrico antes, já no Salão de Genebra, mês que vem – e começar a vender este ano. Como mostra nossa projeção, o modelo de série não difere muito do conceito mostrado em Frankfurt no ano passado.