Com a chegada do Honda HR-V, o Ford EcoSport perdeu seu reinado. Mas é o Jeep Renegade que está invadindo seu castelo. Segundo o ranking de agosto da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), o EcoSport teve 2.395 unidades licenciadas enquanto o Renegade, 4.395. “As vendas caíram junto com a indústria e notamos a ascenção do modelo da Jeep”, diz Oswaldo Ramos, gerente geral de marketing da Ford. O sinal de preocupação soou dentro da Ford e a estratégia foi oferecer um EcoSport automatizado com preço menor em relação às versões manuais e automáticas do rival. De acordo com o fabricante, as vendas de crossovers equipados com caixa robotizada posicionados abaixo de R$ 70.000 e na faixa dos R$ 70.000 correspondem a 4% cada. “Queremos aumentar essa participação e proporcionar essa comodidade”, diz Oswaldo.

Pela primeira vez, o EcoSport tem motor 1.6 e caixa PowerShift de dupla embreagem com seis marchas. A nova SE Direct (R$ 68.690), vendida sob encomenda para frotistas e portadores de deficiência física, é mais barata comparada ao Renegade 1.8 manual (R$ 68.900). Já a SE (R$ 71.900) cobra o mesmo valor do Renegade Sport 1.8 manual. O mesmo acontece com a Freestyle (R$ 76.900) e o Renegade Sport 1.8 automático. Quanto à avaliada Freestyle Plus (R$ 80.300), ela custa menos em relação ao Renegade Sport 1.8 Longitude automático (R$ 82.900).

O casamento do motor 1.6 TiVCT com o câmbio PowerShift de seis marchas foi feliz. Esse novo motor (já presente no New Fiesta) tem bloco, cabeçote e cárter feitos de alumínio, além de pistões com grafite para diminuir o atrito, duplo comando de válvulas variável, sistema de partida sem tanquinho de gasolina e taxa de compressão aumentada para 12:1 (antes era de 11:1). Comparado ao antigo 1.6, a potência foi de 110 cv (g)/115 cv (e) para 125,5 cv (g)/131,3 cv (e). O torque passou de 15,7 kgfm (g)/15,9 kgfm (e) para 15,4 kgfm (g)/ 16,1 kgfm (e) no novo motor.

O crossover mostra desenvoltura e o câmbio PowerShift (antes oferecido somente nas configurações 2.0) faz boas trocas e reduz até três marchas dependendo da situação. É possível andar a maior parte do tempo em quinta marcha com baixo ruído e consumo. Pelo computador de bordo, conseguimos médias urbanas de até 9,2 km/l com etanol. Pena que as trocas sequenciais são feitas pela tecla ao lado da alavanca de câmbio. Também incomoda a pequena tela da central multimídia, assim como os comandos posicionados longe das mãos. Por outro lado, agradam as suspensões macias e a leveza do volante ao esterço. Mas a vinda do motor 1.6 com a caixa de dupla embreagem fará bem às vendas do Eco? Isso só o tempo dirá.

FICHA TÉCNICA
Ford EcoSport FreeStyle Plus
Preço Oficial: R$ 80.300
Motor: 4 cilindros em linha, 16V, duplo comando variável
Cilindrada: 1.596 cm3
Combustível: flex
Potência: 125,5 cv (g) e 131,3 cv (e) a 6.500 rpm
Torque: 15,4 kgfm a 4.250 rpm (g) e 16,1 kgfm a 5.000 rpm (e)
Câmbio: automatizado, seis marchas
Tração: dianteira
Direção: elétrica
Dimensões: 4,241 m (c), 1,765 m (l), 1,696 m (a)
Entre-eixos: 2,521 m
Pneus: 205/60 R16
Porta-malas: 362 litros
Tanque: 52 litros
Peso: 1.274 kg
0-100 km/h: Não divulgado
Velocidade máxima: Não divulgada
Consumo cidade: 10,2 km/l (g) e 7,2 km/l (e)
Consumo estrada: 12,1 km/l (gasolina) e 8,3 km/l (e)
Emissão de CO2: 123 g/km
Nota do Inmetro: C
Classificação na categoria: C (Utilitário Esportivo Compacto)

Veja também

+ A biblioteca básica do motociclista cool

+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas

+ Homem compra Lamborghini após fraude em auxílio emergencial

+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar