Já começa a briga

1. HONDA CIVIC EXS 1.8 POTÊNCIA: 140 CV TORQUE: 17,7 KGFM ENTREEIXOS: 2,70 M R$ 85.235

2. COROLLA SE-G 1.8 POTÊNCIA: 136 CV TORQUE: 17,5 KGFM ENTREEIXOS: 2,60 M R$ 87.300

3. VECTRA ELITE 2.0 POTÊNCIA: 128 CV TORQUE: 19,6 KGFM ENTREEIXOS: 2,70 M R$ 76.527

A disputa pela preferência do consumidor de sedãs médios nunca esteve tão acirrada. O Civic, líder absoluto desse segmento com 29,67% das vendas em 2007, tem pela frente agora um Corolla revigorado com uma carroceria que, na versão atual, conseguiu manter-se no segundo posto do segmento em 2007, com 21,56% das vendas. Uma saída honrosa para a geração que se despede dando lugar ao novo Corolla. Completando o trio de sucesso, vem o Vectra. Fechou o ano passado na terceira posição, com 19,09% do mercado de sedãs médios. Só para que se tenha uma idéia, os três juntos dominaram o mercado de sedãs, vendendo 112.424 unidades, o que representa 70,34% do segmento. O restante, pouco menos de 30%, fica dividido entre Fusion, Mégane, 307 Sedan, Sentra, Bora, Jetta e C4 Pallas.

Agora, com o início da comercialização da nova geração do Corolla, o sedã da Toyota deverá encostar no Civic, e a briga pela liderança será intensa. Ele tentará reassumir essa liderança de segmento, que, antes do lançamento do novo Civic, já foi sua. Armas para isso não faltam: apesar de manter linhas ainda conservadoras com relação ao Civic, mais arrojado e atraente em suas formas, o novo carro aposta suas fichas em suas suspensões mais comportadas e confortáveis que as do Honda, no próprio conservadorismo de seu aconchegante interior e de sua boa mecânica. Afinal de contas, nem só de modernismos vive o mercado de automóveis.

E o Vectra, como fica nessa “briga de cachorro grande”? O carro da Chevrolet é quem mais provavelmente perderá nessa disputa. Sóbrio e elegante, é ainda mais conservador em suas linhas que o novo Corolla. Sob esse aspecto, não perde muito para nenhum dos japoneses: há os que gostam de linhas mais sérias, e seu design ainda é atraente e relativamente novo. A coisa pega mesmo é na mecânica. Com o motor 2.0 Flex, que produz 121/128 cv (gas/álc), o Chevrolet fica atrás dos concorrentes em performance: de concepção antiga, fica difícil unir desempenho, emissão de poluentes e baixo consumo. O motor acaba sendo mediano em tudo, e o consumidor fica insatisfeito com o rendimento e o alto consumo. Além disso, o sistema de direção transmite muito as irregularidades do piso para as mãos do motorista, característica inconveniente em um carro de R$ 76 mil, nesta versão Elite. Ao comparar, o consumidor vê que os concorrentes são mais competitivos e têm mecânica mais moderna, e o Vectra poderá perder participação no segmento.

O Corolla chega oferecendo linhas mais atraentes, uma carroceria dimensionalmente maior na largura e no comprimento que a versão atual (leia matéria anterior), que sai de linha. A marca japonesa apresenta o novo Corolla como um produto de categoria superior à do segmento e com soluções de espaço interno e de porta-malas que superam as do Civic. E essas informações procedem: com a carroceria maior, os técnicos trabalharam incessantemente na obtenção de mais espaço para pessoas e bagagens. E obtiveram sucesso nessa empreitada. O novo Corolla acomoda melhor as pessoas em seu interior e oferece um volume de porta-malas bem superior ao do Civic: são 470 litros do Toyota contra apertados 340 litros do Honda, mas excelentes 526 litros no Vectra. Vantagem indiscutível do Chevrolet para aqueles que fazem questão de ter um bom porta-malas.

1. CIVIC EXS 1.8 PORTA-MALAS: 340 L COMP: 4,49 M LARGURA: 1,75 M ALTURA: 1,45 M DOIS AIRBAGS

2. COROLLA SE-G PORTA-MALAS: 470 L COMP: 4,54 M LARGURA: 1,76 M ALTURA: 1,48 M QUATRO AIRBAGS

3. VECTRA ELITE 2.0 PORTA-MALAS: 526 L COMP: 4,61 M LARGURA: 1,72 M ALTURA: 1,45 M QUATRO AIRBAGS

O painel do Civic ainda surpreende pelo arrojo de suas linhas. Concebido em dois níveis de visão, é digital e analógico. Bonito e funcional!

No Corolla, o painel é um meio-termo entre Civic e Vectra. Tem um design moderno, mas ainda com linhas meio conservadoras

O Vectra tem o painel mais comum, com o problema dos comandos e visor do arcondicionado na vertical: ruins de se ver

O conforto proporcionado pelas suspensões do Corolla supera o comportamento do Civic: mais macias em suas calibragens, absorvem melhor as irregularidades do solo. Em contrapartida, as suspensões independentes nas quatro rodas do Civic, construção mais elaborada e eficiente, dão a ele um comportamento dinâmico mais seguro, transmitindo tranqüilidade. É um ponto a ser considerado: maciez e conforto ou estabilidade e mais segurança? Cada motorista sabe de suas necessidades. Já no Vectra, esse equilíbrio segurança/conforto pende para o lado da segurança: a suspensão é firme e transmite segurança, sem que o carro perca conforto ao rodar.

Observando a lateral dos três líderes desse segmento, nota-se claramente que o Civic ainda inova, com a curva pronunciada de sua área envidraçada dianteira, graças ao auxílio da pequena vigia à frente do retrovisor, da generosa inclinação do pára-brisas e da frente curta, em cunha. O Corolla ficou mais robusto e com linhas mais “gordinhas”, lembrando seu irmão maior, Camry. No Vectra, as linhas laterais são contidas e discretas, sem grandes atrativos

Na mecânica, nenhum dos dois bate o Civic. Seu motor flex 1.8 16V produz bons 140 cv e um torque de 17,7 kgfm, que, graças ao sistema VTECi, age de maneira suave e progressiva, permitindo baixo consumo de combustível e boas respostas ao acelerador. Com a mesma capacidade cúbica do Civic e também com 16V, o motor do Corolla gera 136 cv e um torque de 17,5 kgfm. Tem um recurso para alterar o diagrama de abertura e fechamento das válvulas, o VVTi, mas com resultados inferiores aos da Honda. Na transmissão, o Civic é melhor: tem câmbio automático de cinco marchas (quatro no Corolla e no Vectra, sem opção seqüencial) com opção de trocas manuais, inclusive através de borboletas no volante (versão EXS). Qual escolher? Se para você esportividade é fundamental no comportamento de um carro e você não quer ser visto como “tiozão” dentro de um sedã, a escolha está feita, é o Civic. Se precisa de um porta-malas maior e espaço generoso no banco traseiro, sem perder a economia de combustível e uma condução suave e silenciosa, o novo Corolla tem mais a sua cara… Já se você é do tipo mais discreto, quer um porta-malas maior ainda, não quer chamar atenção e acha fundamental uma rede de assistência técnica em número maior, ficará mais feliz com o Vectra.

SEDÃS MÉDIOS: as opções do mercado

O segmento de sedãs médios é o quarto maior em volume de vendas em 2008, com 7,97% do total de vendas, segundo a Fenabrave. Perde apenas para veículos de entrada, sedãs compactos e hatches pequenos. As opções são muitas, e aqui selecionamos os modelos na mesma faixa de preço de Civic, Vectra e Corolla. Os valores informados são os da tabela Fipe/MOTOR SHOW. Ainda este ano, está prevista a chegada do novo Linea, sedã do Punto, que vai preencher uma lacuna na linha de modelos da Fiat.

Peugeot 307 Sedan

R$ 52.080 a R$ 67.900

É o que começa com preço mais baixo, mas com motor 1.6 flex. Os modelos 2.0 (143 cv) rodam só com gasolina, e o preço parte de R$ 60.600. O design não agradou: tem, em 2008, apenas 2,27% das vendas do segmento.

Renault Mégane

R$ 54.110 a R$ 64.604

Tem opções 1.6 flex ou 2.0 a gasolina (138 cv). Apesar de ter um projeto moderno e preços atraentes, é o sexto colocado entre os sedãs médioseste ano, com 5,46% do total de vendas. Oferece garantia de três anos.

Nissan Sentra

2.0 R$ 59.241 a R$ 81.040

Tem porta-malas pequeno (371 litros, maior apenas que o do Civic), mas é o único a oferecer o câmbio CVT como opcional. Roda apenas com gasolina, e é o sétimo mais vendido em 2008, com 4,08% do segmento.

Kia Magentis

R$ 60.155 a 68.160

A Fenabrave o classifica como grande, embora seja menor que o Fusion. Destaque para os cinco anos de garantia e o bom nível de equipamentos. O seu motor 2.0 a gasolina gera 145 cv. Vende menos que o VW Bora.

VW Bora 2.0

R$ 60.556 a 66.255

O recém-reestilizado Bora é menor que os concorrentes e tem motor de 116 cv, a gasolina, aliado a um bom câmbio de seis marchas. Importado do México, suas vendas são inexpressivas.

Citroën C4 Pallas

R$ 66.360 a R$ 80.320

Quarto colocado no segmento, com 11,6 % das vendas, já está perto do Vectra. Por quê? Motor 2.0 de 143 cv (gasolina), portamalas com 580 litros (o maior da categoria) e interior moderno e espaçoso respondem à pergunta?

Ford Fusion

R$ 80.533

O Ford é vendido em versão única, com motor 2.3 a gasolina de 162 cv, o mais potente do segmento, e câmbio automático de cinco marchas. É páreo duro somente para as versões top dos principais concorrentes.

COMPARTILHAR
Notícia anteriorPlcanto
Próxima notíciaSantana ainda reina na China