JAC E-J7: sedã elétrico chega ao Brasil e promete desafiar Audi e BMW

0
12
Foto: Divulgação

A JAC apresenta para o Brasil o elétrico E-J7, que promete desafiar concorrentes como o Audi A5 Sportback, BMW 320i GP e Honda Accord Hybrid, por exemplo.

Com 4,77 metros de comprimento, 1,82 m de largura e 2,76 m de entre eixos, o JAC E-J7 competirá diretamente com sedãs de carrocerias e potências similares.

+ Jac Motors lança versão aventureira do elétrico E-JS1; veja o preço
+ Teste Rápido: JAC E-JS1 é um elétrico popular (só que não)
+ Volkswagen revela oficialmente o SUV coupé elétrico ID.5; assista


“Conseguimos uma ótima negociação com a matriz para posicionar o JAC E-J7 de forma muito competitiva. Como se vê, ele tem o mesmo porte dos principais modelos premium do mercado, mas é mais rápido nas arrancadas do que todos eles. E ainda é mais barato. Acredito que o volume de vendas desse novo JAC 100% elétrico vai surpreender”, diz Sergio Habib, presidente do Grupo SHC e da JAC Motors Brasil, em nota divulgada.

Com 50,1 kWh de capacidade de carga e autonomia de 402 km, o E-J7 possui um motor de 192 cv de potência e 34,67 kgfm de torque máximo disponível desde o momento em que o condutor liga o carro. O E-J7 consegue ir de 0 a 100 km/h em 6,4 segundos.

O modelo está disponível em regime de pré-venda em todas as concessionárias JAC Motors do país, o E-J7 será lançado em janeiro de 2022. As primeiras entregas estão previstas para março. O preço é de R$ 259.900.

MAIS NA MOTOR SHOW:
+ Qual é a melhor versão do Jeep Compass 2022?
+ Renegade assume liderança entre os SUVs em outubro; veja a lista
+ BMW Motorrad R 18 recebe novo visual para projeto; assista
+ Carro-conceito: Ford apresenta Mustang rebaixado
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Gol deixará de ser produzido no Brasil, diz jornal
+ Ford disponibiliza Mustang Mach 1 para teste
+ Venda de veículos importados registra queda de 40%, diz Abeifa
+ Produção da indústria automotiva tem o pior outubro desde 2016
+ Carangas absurdas do Brasil: série do History estreia nesta segunda (8)
+ Brasil é o 2º pior país do mundo para dirigir; veja o ranking