Jaguar S-Type R

Potência de 400 cv

0 a 100 km/h – 5s6

R$ 340.000

Sequando pensa em Jaguar você imagina um comportado sedã conduzido por um alinhado motorista de luvas e quepe, provavelmente você tem um conhecimento limitado das potencialidades dessa tradicional montadora. A marca do felino já foi campeã de competições como as 24 Horas de Le Mans e o Rali de Monte Carlo e tem uma trajetória interessante nas provas de automobilismo.

Esse espírito racing – que vem atestado pela letra R no sobrenome do modelo – aparece claramente no S-Type R e faz desse Jaguar um esportivo de alto calibre. Sem perder as reconhecidas características de luxo e conforto, que são intrínsecas da marca inglesa, o sedã é capaz de proporcionar a mesma emoção de qualquer puro-sangue tradicional. Basta que o piloto pressione, com vontade, o pedal do acelerador. O motor começa a subir rápido de giro, o som constante do compressor volumétrico se faz ouvir mais nitidamente e o carro deslancha, chegando aos 100 km/h em apenas 5,6 segundos, enquanto joga o corpo dos ocupantes contra os bancos de couro. Uma delícia!

Visualmente, essa versão esportiva não é muito diferente da convencional. Possui grade dianteira personalizada, aerofólio traseiro, novas rodas aro 18 e, no interior, a madeira foi substituída pelo alumínio. Já na mecânica… O motor, um V8 4.2 32V com variador de fase e 300 cv, já seria suficiente para empurrar a carroceria de pouco mais de 1.800 kg e 4,9 m. Mas a marca queria ir além. Com a inclusão do Supercharger, o propulsor ficou com a potência específica de mais de 95 cv/l passando para 400 cv à 6.100 rpm. Isso se traduz em uma relação peso/potência de 4,6 cv/l, que permitem que se chegue fácil aos 249 km/h.

Apesar dos bancos um pouco baixos, ele oferece habitabilidade de sedã de luxo. Nos detalhes, todo o requinte dos modelos da marca, com destaque para a grelha de engate na forma de J e para o botão de acerto dos pedais e da direção

O torque de 56,4 kgfm aparece a 3.500 rpm e é gerenciado por um eficiente câmbio automático de seis marchas (que podem ser acionadas manualmente da segunda à quinta) que se adapta à condução do motorista. Mas, apesar da eficiência das trocas e do escalonamento das marchas, um câmbio de engates seqüenciais seria mais adequado ao temperamento do modelo. Esse é um dos poucos pontos negativos do sedã.

Para encontrar a relação perfeita entre o conforto que um sedã de luxo precisa oferecer e o equilíbrio dinâmico que um esportivo tem que garantir, a Jaguar recorreu ao gerenciamento eletrônico. Além dos controles de tração (com ele desligado o carro é capaz de “cavar” o asfalto e queimar pneus) e estabilidade, o modelo possui um sistema que corrige, em milésimos de segundo, o acerto da suspensão independente de acordo com as características de condução e com o tipo de piso. O resultado prático é que nenhuma ondulação de piso é repassada ao habitáculo e o carro se mantém na trajetória como se estivesse em um trilho. Claro que não dá para esperar reações extremamente rápidas e ariscas em um carro com quase 5 m de comprimento e 3 m de entreeixos, mas, em contrapartida, é um esportivo fácil de ser pilotado.

Para garantir segurança, freios Brembo, pinças de quatro pistões, sistema ABS e seis airbags. O freio de mão, no entanto, pode apresentar um certo perigo, pois é desativado quando se retira a alavanca de câmbio da posição Park. No conforto, todos os equipamentos que se pode esperar de um Jaguar, além de bom isolamento acústico. O preço da jóia? “Apenas” R$ 340 mil. Um preço justificado a cada acelerada.

Para parar a fera inglesa, rodas de 18 polegadas, freios da marca Brembo com pinças de quatro pistões e freios com sistema ABS e com EBD

Aceleração de zero a 100 km/h em 5s6 e máxima limitada de 249 km/h. Para se ter uma idéia do que representa o desempenho deste V8 Supercharger, o BMW Z4 M, o mais purista entre os esportistas deste especial, acelera de zero a 100 km/h apenas seis décimos de segundo mais rápido que o Jaguar