JOGO DOS sete erros

A Citroën do Brasil deve muito de sua popularidade ao C3. Apenas em 2003, quando o modelo foi lançado e caiu nas graças de nosso mercado, é que a marca ganhou uma participação maior de mercado. Parte do sucesso se deve ao visual jovial e simpático. Mas a boa dirigibilidade e o generoso pacote de equipamentos o ajudaram a conquistar clientela.

A linha 2009 do hatch premium trouxe algumas novidades, mas nada muito substancial. Apenas perfumarias estéticas. Visualmente o que mais se destaca é a grade frontal, que agora está mais larga, com bordas cromadas e cor escura. Novas rodas Chronos 15″ equipam, como opcional, as versões GLX e Exclusive, enquanto, de série, elas trazem novas calotas Condor (14″) e Inca (15″).


Os bancos receberam novos revestimentos. Já o ar-condicionado digital faz parte de um novo pacote de equipamentos

Internamente, as alterações ficam por conta dos novos revestimentos dos bancos e da nova alavanca de câmbio, que tem o pomo e o anel de sua base com acabamentos em alumínio escovado.

A dirigibilidade do C3, que sempre foi bastante agradável, agora está mais confortável. Junto com esse pacote de alterações visuais, a Citroën também aperfeiçoou o acerto de sua suspensão, que foi redimensionada e recebeu novas molas e amortecedores. A intenção era eliminar de vez aqueles incômodos solavancos repassados ao habitáculo quando se trafegava por nossas esburacadas ruas e estradas.

Já a configuração mais aventureira XT-R, além de contar com essas mudanças, traz rodas aro 15″ Coyote e pára-choques e saias laterais que, ao contrário do modelo anterior, acompanham a cor da carroceria, sem descartar detalhes pretos e alumínios que reforçam o aspecto off-road.

Internamente, a mudança fica por conta da alavanca de câmbio que passa a ter o pomo e o friso da base com acabamento em alumínio escovado. Nada substancial

Com a atual competitividade do mercado nacional, fica difícil repassar o preço dessas atualizações para o consumidor. Por isso, a Citroën decidiu manter os valores do C3 inalterados e lançou um novo pacote de equipamentos, o Pack Clim Auto, composto por ar-condicionado digital, acendimento automático dos faróis e acionamento automático do limpador do pára-brisa. O pacote vem de série nas versões mais caras, Exclusive e XT-R, quando equipadas com motor 1.6 (nos 1.4, ele custa R$ 1.500) e não está disponível para as outras versões.

Na segunda quinzena deste mês, chega o C3 com o mesmo câmbio automático do C4 Pallas. Mas desse lançamento a marca ainda não divulgou o preço.

No XT-R os pára-choques e saias agora são pintados na cor do carro

 

SHARE
Artigo anteriorSerra da Bocaina
Próximo artigoAgora, um legítimo fiat