Mais espaço e mais potência

Reinaldo Canuto e Wanderley Affonso

Ford foi além do que se esperava no lançamento oficial dos novos Ka e Ka+ (nome do sedã) em Trancoso, um dos lugares mais aprazíveis do litoral sul da Bahia. Além de mostrar as duas carrocerias com o novo motor 3 cilindros 1.0 flex, ela apresentou também o Ka+ 1.5. Se o Ka 1.0 já agradou por seu desempenho, o motor 1.5 flex de 105/110 cv (gasolina/etanol) coloca o Ka+ numa posição de destaque entre os sedãs compactos, pois ele só perde para o Hyundai HB20S (122 cv) em termos de potência. Esse motor Sigma, com duplo comando de válvulas, já equipa o New Fiesta e oferece quase 15 kgfm de torque, suficientes para os pouco mais de 1.000 quilos do Ka sedã, permitindo boa agilidade no trânsito com baixo nível de ruído. Assim como o Ka hatch 1.0, os Ka sedã 1.0 e 1.5 começam a ser vendidos agora em setembro. O hatch 1.5 chega no começo de outubro.

Com essas quatro configurações, o novo Ford Ka passa a ter 12 versões. Os nomes das versões são os mesmos para o hatch o sedã: SE, SE Plus e SEL. Os sedãs custam sempre R$ 2.500 a mais do que os hatch e os 1.5 saem R$ 5.000 a mais do que os 1.0. Uma das preocupações do marketing da Ford foi facilitar a escolha dos consumidores, evitando o exagero de versões e pacotes opcionais. Dessa forma, todos os SE já saem de fábrica  com ar-condicionado, direção elétrica, volante com ajuste de altura, travas/vidros elétricos, chave canivete, bluetooth, rádio AM/FM, entrada para USB e limpador/lavador traseiro. Os SE Plus adicionam sistema Sync com Appe para  Link, CD player, controle do áudio e telefone no volante e assistência de socorro com o Samu em caso de acidente com ativação dos airbags ou corte na válvula de combustível. Os SEL trazem ainda controles de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa, rodas de liga leve aro 15, faróis de neblina, grade cromada e computador de bordo.  

“O consumidor não quer carro antigo, não quer carro de duas portas, não quer subcompacto e não quer carro de marca chinesa desconhecida”, afirma Oswaldo Ramos, diretor de marketing da Ford. Com o Ka, a montadora americana finalmente tem um carro de grande volume para brigar no segmento de entrada. Hatches e sedãs compactos representam 59% do mercado brasileiro. Desse total, 30% são sedãs. Entre esses, 72% utilizam motor acima de 1.0, por isso a estratégia para o Ka+ é dar mais ênfase para as versões com motor 1.5.  

O Ka+ tem dois fortes elementos visuais que o diferenciam do Ka. O sedã tem grade com barras horizontais (cromadas na versão topo de linha) e faróis claros, enquanto o hatch tem grade preta com elementos em colmeia e faróis com máscara negra. Por dentro, o acabamento do Ka+ utiliza partes em black piano. O porta-malas do Ka+ acomoda 445 litros (duas malas grandes ou uma grande, uma média e uma pequena) e abertura pantográfica, que não amassa a bagagem nem reduz sua capacidade de carga, ao contrário das alavancas tipo “pescoço de ganso”. 

O Ka+ 1.5 começa em R$ 42.890 na versão SE, passa para R$ 44.890 na SE Plus e termina em R$ 47.490 na SEL. Já o Ka+ 1.0 custa R$ 37.890 na versão SE, R$ 39.890 na SE Plus e R$ 42.490 na SEL. Portanto, o Ka+ invade a faixa de preços do New Fiesta Hatch, que parte de R$ 42.990 – assim como o Ka hatch SEL (R$ 45.990). Mas essa pequena “canibalização” não preocupa a Ford, que vê dois consumidores diferentes para o Ka e para o New Fiesta. O primeiro tem limitação de orçamento e normalmente está comprando o primeiro carro zero-quilômetro ou fazendo um up grade do hatch para o sedã, enquanto  o segundo, com mais dinheiro no bolso, pode ousar na compra e buscar mais tecnologia e esportividade em seu carro novo. 

 

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Baleia jubarte quase engole duas mulheres em caiaque; veja o vídeo
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel

COMPARTILHAR
Notícia anteriorPicapinha de família
Próxima notíciaSedã endiabrado