Manutenção pode gerar economia de combustível de até 15%

A mudança de alguns erros na condução também podem contribuir

0
1
Foto: Divulgação

Com o aumento no preço dos combustíveis pela Petrobras, em 18,7% para a gasolina e 24,9% para o diesel, o brasileiro pode tomar algumas medidas para que a viagem de automóvel ainda caiba no bolso.

Uma delas é a realização de manutenção preventiva do veículo e mudança de alguns erros na condução, por exemplo, que podem gerar uma economia de até 15%. É o que explica o engenheiro Hélio da Fonseca Cardoso, membro do Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de São Paulo (Ibape/SP) – nas gestões 2010/2011 e 2012-2013.

“A manutenção preventiva veicular, desde a mais básica, como calibrar os pneus, alinhar a direção, balancear as rodas, troca de óleo e outras, influenciam diretamente no consumo de combustível por preservar as características originais dos veículos”, afirma, em nota divulgada.


Acelerar o veículo desnecessariamente e deixar para frear em cima do obstáculo também podem aumentar o consumo de combustível.

+ Carros híbridos: procura online por modelos aumenta em 43%
+ Carros da Hyundai valorizam mais que modelos da VW, GM e Ford
+ Mercado de carros registra queda nas vendas, mas preços aumentam
+ Vídeo: cilindro de gás (GNV) explode enquanto carro é abastecido
+ Serviço de aluguel da Toyota agora permite retirar carro em drogaria

Combustíveis alternativos

Na tentativa de economizar, alguns motoristas acabam optando por instalar sistemas alternativos como o GNV (Gás natural veicular), contudo, conforme explica o engenheiro, ao converter um veículo para GNV deve-se levar em conta outros fatores, além do custo do combustível.

“É preciso avaliar quanto gastará a mais com a conversão, nas inspeções anuais e manutenção e avaliar o perigo que correrá se não for bem feita a transformação. Além disso, levar em conta a depreciação que o carro terá na revenda e o custo do seguro (se é que a seguradora o aceitará). Ao final das contas, a economia não é tudo aquilo que parece. Cuidado. Ponha todos os gastos no papel”, alerta.

Motoristas de aplicativos

O reajuste no preço dos combustíveis também impactou diretamente a vida de quem utiliza o carro como ferramenta de trabalho. O combustível representa de 40% a 50% dos custos fixos dos motoristas de aplicativos.

“Ao motorista de aplicativo, recomendo que faça o alinhamento e balanceamento a cada 10.000 km, utilize combustível de boa qualidade, troque o óleo lubrificante na quilometragem e pelo tipo recomendado pelos fabricantes, troque o líquido refrigerante do radiador na quilometragem, especificação e proporção recomendados”, explica.

MAIS NA MOTOR SHOW:

+ Honda X-ADV 2022: nova scooter chega mais potente e com novo visual
+ Qual é a melhor versão do Jeep Compass 2022?
+ Preço da gasolina aumenta 8,7% e litro chega a custar até R$ 8,399
+ Parcela do IPVA SP 2022 vence nesta terça (22) para grupo de veículos
+ Carro por assinatura vale a pena? Confira um guia completo com preços, vantagens e desvantagens
+ Honda inicia a pré-venda da NC 750X DCT 2022
+ Comparativo de SUVs: Jeep Compass vs. VW Taos e Toyota Corolla Cross
+ Segunda parcela do IPVA SP 2022 vence para veículos com placa final 8
+ Ram lança linha 2022 das picapes 2500 e 1500; veja os preços
+ F1 2022: a temporada começou; veja onde assistir