Mercado e serviços

Dizem por aí que o melhor carro que existe é o carro zero km. Afinal, é bastante provável que nos primeiros meses ele não dê nenhuma dor de cabeça. E é justamente para não ter amolação que muitos consumidores acabam pagando mais por alguns serviços oferecidos na concessionária. Tudo para pegar o carro sem precisar resolver nada. Mesmo que isso custe caro. Exemplo disso é o valor que as autorizadas cobram para fazer o documento do veículo. Nas revendas consultadas por MOTOR SHOW, o preço variava de R$ 680 a R$ 890, sem incluir o valor do IPVA, que é calculado com base no preço do carro. Nas concessionárias, em geral, o valor é o mais alto que se pode conseguir.


Para quem não quer ter trabalho, o melhor é contratar um despachante, pois o serviço é exatamente o mesmo: o emplacamento pode ser feito ainda na concessionária, e depois de três dias úteis já é possível retirar o veículo documentado. Na verdade, o que acontece é que as revendas terceirizam o trabalho a despachantes e cobram a mais do cliente para também lucrar com o serviço. Em São Paulo, o valor médio cobrado pelos despachantes fora das revendas é de R$ 550, com o seguro obrigatório incluído, mas sem o IPVA.

Se a ordem é economizar, porém, ainda é possível fazer o documento pagando bem menos do que isso. Basta ter tempo para fazer todo o processo no Detran. Não é nenhum bicho de sete cabeças, pode acreditar. A equipe de MOTOR SHOW acompanhou o motorista Omar Ammon no emplacamento de seu Gol zero-quilômetro. O passo a passo pode ser acompanhado aí ao lado.

Fazer a documentação do carro não é um processo tão complicado quanto se imagina. Dá para dispensar o despachante e economizar

Em cerca de uma hora e meia foi possível fazer todos os trâmites de documentação do veículo. E o melhor de toda a história é que o documento acabou custando apenas R$ 243,96. Com o seguro obrigatório, o valor total foi para R$ 298,96. Tanto para contratar um despachante como para fazer tudo pessoalmente no Detran, é necessário ter em mãos cópias de CPF, RG e comprovante de endereço e o kit despachante (que contém a nota fiscal do veículo e o número de chassi) que será a você por um funcionário da concessionária.

Se o motorista quiser que a lacração seja feita em domicilio (ou na concessionária), o preço sobe R$ 26,16. Um valor que deve ser considerado para evitar os transtornos de se rodar com um carro sem placas. Segundo a resolução 004/98 do Contran, o comprador de um veículo pode, dentro de um prazo de cinco dias consecutivos a partir da data de expedição da nota fi scal, utilizar o carro para ir fazer o emplacamento. Vencido esse prazo, o risco de se ter problemas é grande. O Código de Trânsito Brasileiro determina que trafegar sem placa é uma infração considerada gravíssima, com penalidade de sete pontos na CNH, multa de R$ 191,54 e apreensão do veículo.

De qualquer modo, se você dispõe de um pouco de tempo e quer economizar no documento do carro, vale a pena fazer tudo pessoalmente no Detran de sua cidade. No site do órgão (no caso do Detran de São Paulo é www.detran.sp.gov.br) você encontra toda a documentação necessária e os procedimentos obrigatórios. Para economizar cerca de R$ 500, pode valer a pena perder pouco mais de uma hora.

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Baleia jubarte quase engole duas mulheres em caiaque; veja o vídeo
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel

COMPARTILHAR
Notícia anteriorPara pequenas famílias
Próxima notíciaUma vida na fórmula 1