Mercedes-AMG C 63 S Coupé chega com 510 cv por R$ 615.900; confira fotos e avaliação

0
4423

 

Como prometido no começo deste ano, a Mercedes-Benz lançou ontem (05/10) no Brasil seu superesportivo C 63 S Coupé, que se junta à versão sedã já comercializada no Brasil. Com exatamente a mesma mecânica e um design muito mais agressivo – legítimo cupê de duas portas, com clara inspiração nos arrebatadores AMG GT e Classe S Coupé.


Apesar das duas portas a menos, a exclusividade do design e o fator novidade o fizeram mais caro que o Sedan. Enquanto o três volumes é vendido hoje por R$ 540.900, a o Coupé chega por R$ 615.900 – e caso você queira colocar os freios de cerâmica com pinças na cor bronze (os originais são vermelhos), terá que pagar R$ 50.000 reais extras. E se você achou caro, a marca também aproveitou a oportunidade para lançar, também em versões Sedan e Coupé, os Mercedes-AMG C 43, com quase tudo que tem os demais AMG, mas potência e preços intermediários, entre os da linha “civil” e os dos 63 AMG, na faixa de R$ 400.000.

Claro que a lista de equipamentos do C 63 AMG Coupé é bastante generosa. Inclui itens como sistema de som Burmester com 13 alto-falantes, Android Auto e Apple CarPlay, câmera 360o, acabamento em fibra de carbono, teto panorâmico e bancos esportivos, head-up display, entre muitos outros itens.

No começo do ano fomos ao desafiador circuito de Ascari, na Espanha, conferir como anda esse monstruoso esportivo. Releia trecho de nossa avaliação abaixo (para texto completo publicado à época clique aqui):

“O motor é o mesmo V8 4.0 biturbo do superesportivo AMG GT S, mas recalibrado para 510 cv e 71,3 kgfm (disponíveis já a 1,750 rpm!) e a tração continua traseira – mas a força é levada às rodas por uma transmissão multidisco (MCT) com embreagem banhada a óleo no lugar do conversor de torque, e transmitida ao asfalto por pneus 255/35 na frente e 285/30 atrás (0-100 km/h em 3s9, máxima de 290 km/h).

A suspensão traseira retrabalhada em relação às demais versões tem “pitadas” do Black Series da geração anterior: “A forma segue a função”, explica Christian Enderle, diretor de desenvolvimento de powertrain. Além de ter rodas aro 19 e pneus maiores, o eixo traseiro exclusivo deixou esse AMG mais largo que as demais versões, a dianteira tem tomadas de ar maiores e a traseira tem difusores de ar e escapes quádruplos (com válvulas controladas eletronicamente para garantir sonoridade similar à do antigo 6.2 V8 aspirado).

O esportivo tem controle de modo de condução (Dynamic Select), como os modelos básicos. Nessa versão mais forte, os modos são Comfort, Sport, Sport+, Race e Individual. Eles alteram as respostas do motor, câmbio, direção e até do controle de estabilidade, atuando no diferencial traseiro com bloqueio eletrônico e ajustando o cupê às condições da estrada e gosto do motorista (o Sport+ valoriza a tração traseira, permitindo “traseiradas” controladas nas curvas, que ficam ainda mais radicais no modo Race (corrida).

A direção é bastante sensível e direta, o volante revestido de Alcantara tem base chata e o diferencial traseiro conta com controle eletrônico, assim como os amortecedores (com ajuste em três níveis de rigidez; no macio, esse AMG é perfeitamente utilizável no cotidiano, como comprovamos mais tarde, a caminho do hotel). Nas oito voltas no circuito de Ascari, o C 63 S mostrou que é capaz de fazer qualquer um sem sentir um verdadeiro piloto – mas é preciso respeitar sua força e dosar o acelerador nas saídas de curva para não sair rodando (ou ser impedido disso pelo ESP cortando sua potência). “Ele tem mais genes da AMG que os predecessores”, diz Enderle. De fato.”

Mercedes-AMG C 63 S Coupé
Motor: 8 cilindros em V 4.0, 32V, duplo comando variável, biturbo, injeção direta
Cilindrada: 3982 cm3
Combustível: gasolina
Potência: 510 cv de 5.500 a 6.250 rpm
Torque: 71,3 kgfm de 1.750 a 4.500 rpm
Câmbio: automatizado multidisco, sete marchas Direção: elétrica
Suspensões: four-link (d) e multi-link (t), amortecedores ajustáveis
Freios: discos ventilados de carbono-cerâmica (d) e discos ventilados (t)
Tração: traseira, bloqueio eletrônico do diferencial
Dimensões: 4,750 m (c), 1,877 m (l), 1,402 m (a)
Entre-eixos: 2,840 m
Pneus: 255/35 R19 (dianteiros) – 285/30 R19 (traseiros)
Porta-malas: 355 litros
Tanque: 66 litros
Peso: 1.800 kg
0-100 km/h: 3s9
Velocidade máxima: 290 km/h (limitada)
Consumo: 11,4 km/l (média cidade/estrada, na Europa)
Nota do Inmetro: não participa
Classificação na categoria: não participa