Mercedes-Benz apresenta o primeiro chassi de ônibus elétrico produzido no Brasil

O eO500U é o primeiro chassi de ônibus totalmente elétrico desenvolvido pelo time de engenharia da Mercedes-Benz do Brasil. O alcance máximo é de até 250 km

0
751
Chassi Mercedes-Benz eO500U (8)
Foto: Divulgação

A Mercedes-Benz do Brasil apresentou o eO500U, o primeiro chassi de ônibus elétrico 100% desenvolvido pelo time de engenharia brasileira. Ele será produzido na fábrica de São Bernardo do Campo, na região do ABC paulista, para atender tanto as condições do nosso mercado/América Latina quanto dos países da Europa/Oceania para onde será exportado.

“Destinamos cerca de R$ 100 milhões ao projeto do eO500U, dentro do atual ciclo de investimentos de R$ 2,4 bilhões no Brasil de 2018 a 2022”, conta Karl Deppen, presidente da Mercedes-Benz do Brasil & CEO América Latina.


O chassi eO500U é um modelo Padron 4×2 da linha 0500. Com piso baixo, poderá receber carroçarias de até 13,2 metros de comprimento.

+ Mercedes-Benz S 680 Guard oferece blindagem e tanque de ar
+ Caminhão Mercedes-Benz atinge marca de 2 milhões de km sem abrir o motor
+ Avaliação: Mercedes-Benz EQA, o GLA elétrico que chega ao Brasil em breve
+ Comparativo: Volvo XC40 vs. Mercedes-Benz GLA

Equipado com um motor elétrico integrado ao eixo traseiro oferece um alcance máximo de até 250 km e, segundo o fabricante, a recarga das baterias do tipo plug-in (mesmo padrão utilizado pela Daimler em seus ônibus elétricos) possibilita realizar a recarga completa em três horas. Outras tecnologias aparecem no sistema de regeneração de energia, no freio eletrônico EBS e no quadro de instrumentos totalmente novo, com informações sobre as baterias e os sistemas eletrônicos.

A chegada do chassi eO500U está prevista para o próximo ano.

Mais na Motor Show 

+ Avaliação: Fiat Argo 1.0 S-Design é ótimo popular-chic, mas vale a pena?
+ Shineray faz parceria com Coca-Cola e mostra primeira moto elétrica
+ Volkswagen deixará de fazer famosas salsichas alemãs
+ Teto de R$ 140 mil para isenção de IPI para PCD pode ir até 2026
+ Charlie Watts, do Rolling Stones, tinha coleção de clássicos mas não podia dirigir
+ Toyota Corolla Cross concorre a título de Carro Global do Ano
+ Detran de SP lista melhores (ou piores) desculpas para fugir da Lei Seca