Mercedes cancela produção da Classe X na Argentina e picape não deve mais vir ao Brasil

Picape média de luxo seria feita ao lado de Nissan Frontier e Renault Alaskan. Agora, pode vir importada da Espanha e custar ainda mais caro

Picape da Mercedes já era esperada por clientes de todo o Brasil (Foto: Divulgação)

A Mercedes-Benz Classe X deve “subir no telhado” de nosso mercado automotivo. Segundo comunicado da própria fabricante, a marca desistiu oficialmente de produzir a picape na Argentina, fato que altera planos de vendas do modelo no mercado brasileiro.

O projeto original da Mercedes era de fabricá-la em Santa Isabel, planta compartilhada com Nissan e Renault, onde são feitas as picapes Frontier e Alaskan. A ideia da marca alemã era ter lançado a Classe X por aqui no final do ano passado, mas após sucessivos adiamentos, a empresa decidiu cancelar planos por causa da complicada condição econômica da Argentina.

A Classe X deveria oferecer por aqui versões equipadas com dois motores turbodiesel: quatro cilindros, 2.3, 190 cv e 45,9 kgfm de torque, como o da Frontier; e um V6 3.0, de 258 cv e 56,1 kgfm, ambos acoplados a uma caixa de câmbio automática de sete marchas.

Consultada, a Mercedes diz que “ainda não há definição” sobre a a estratégia para a picape. Confira: “Após analisar o acordo comercial e, em alinhamento com o parceiro de cooperação, decidiu-se não produzir a picape Classe X na Argentina, que teria sua produção destinada aos mercados argentino e brasileiro. Atualmente, na América Latina, a Classe X está disponível somente no Chile, que tem seu mercado abastecido pela produção do modelo em Barcelona. Quanto ao mercado brasileiro ainda não temos uma definição.”

Dessa forma, abriu-se a possibilidade de ela vir importada da Espanha – a desvantagem, neste caso, seria a origem europeia, o que implicaria diretamente no preço, já que a Classe X desse modo teria de pagar o Imposto de Importação de 35%, algo que não seria cobrado do modelo feito no Mercosul.